Dicas de Marrakech: Jardin Majorelle

Olá!

Assim que chegamos em Marrakech fomos fazer um passeio de bike guiado com a equipe da Agencia Morocco Imperial Bike e Turismo (clique aqui para acessar o site), que foi incrível! Nós pudemos conhecer parte da Medina de bike e fomos até um dos lugares mais lindos da cidade, o Jardim Majorelle.

O Jardin Majorelle é um jardim botânico maravilhoso, cheio de cactos e plantas incríveis, decoração fantástica, que ainda conta com um Museu da Cultura Berbere.

O fundador do Jardim foi o pintor francês Jacques Majorelle que o fez em 1931. O Jardim Majorelle foi comprado por Yves Saint Laurent e Pierre Bergé em 1980, que o reformaram e abriram para visitação.

Agora um pouco dos nosso registros no Jardin Majorelle:


A decoração do Jardin Majorelle é maravilhosa! Seja pelo paisagismo, seja pelas fontes e azulejaria. 


Fonte Azul Majorelle

Fonte Majorelle: Azul Majorelle, é o azul cobalto muito intenso que ficou muito conhecido por ter sido a cor escolhida por Majorelle para pintar toda a vila que compõe o jardim, em 1937. 

Entre azuis e verdes intensos

Detalhe da Camiseta de Ciclismo linda que recebemos da Morocco Imperial assim que chegamos

Casa de Majorelle dentro do Jardim
Construção maravilhosa com arquitetura bem marroquinaEsta casa, mais antiga, foi desenhada por Paul Sinoir e a arquitetura foi inspirada em Le Corbusier. A casa de Majorelle foi instalada no primeiro andar e o térreo foi transformado num imenso atelier 
Detalhes marroquinos que encantamLojinha incrível, mas com objetos caríssimos dentro do Jardim
O museu que merece ser visitado, cheio de itens da cultura berbere, dispostos num ambiente surrealMais detalhes da casa mais antiga de MajorelleO azul intenso contrastando com o branco Nesta casa maravilhosa localiza-se um restaurante

Yves Saint Laurent e Pierre Bergé descobriram o Jardim Majorelle em 1966 e ficaram apaixonados. Em 1980 conseguiram comprar o jardim e impediram de transformarem-no em hotel.

Após a morte de Yves Saint Laurent, em 2008, suas cinzas foram dispersadas no roseiral da Villa Oásis, casa mostrada acima.


Galeria linda com obras de Yves Saint Laurent

Cactos, yuccas, lótus, jasmins, palmeiras, coqueiros…

O Jardim Majorelle é simplesmente incrível e realmente precisa ser visitado quando em Marrakech.

Endereço Jardim Majorelle: Rua Yves Saint Laurent, Marrakech, 40090, Marrocos.

Site: jardinmajorelle.com

Caso esteja organizando uma viagem para o Marrocos, faça contato com a Morocco Imperial, que é a melhor empresa de viagens brasileira no Marrocos, com receptivo e organização de todos os passeios! Clique aqui para acessar. 

Para mais dicas sobre Marrakech, clique aqui! 

bj bj bj e ótima semana

Rê Nunes

Onde ficar em Marrakech? Dentro ou Fora da Medina?

Vamos começar a falar em Marrakech?

A primeira dica sobre esta cidade incrível tem que ser sobre hospedagem.

Ao contrário do que eu imaginava, Marraquexe tem inúmeros hotéis incríveis e é até difícil escolher em qual se hospedar.

1. A primeira decisão a ser tomada: hospedar-se dentro ou fora da Medina?

“Medina é um aglomerado urbano organizado dentro de uma muralha”. Em Marrakech, assim como muitas cidades árabes, dentro da Medina está presente a cidade antiga, que mantém tradições incríveis e nos faz viajar no tempo quando a visitamos.

Dentro da Medida de Marrakech há um emaranhado de ruas, ruelas que a transforma em um incrível labirinto. No centro da Medina há uma praça principal bem famosa chamada Jemaa el-Fna.

Andar por dentro da Medina sem conhecer o local e sem um guia não é recomendado, pois nem mesmo os mapas são devidamente atualizados com tantas ruelas e ruas sem saída.

Dentro da Medina existe o tradicional comércio local chamado Suki, onde é possível encontrar-se tudo que você puder imaginar!!! Dentro da Medina também localizam-se restaurante incríveis.

A Medina retrata muito dos costumes locais de Marrakech e eu recomendo sim hospedar-se lá dentro.

Fora da Medina estão os grandes Resorts e Hotéis de grandes redes, que são iguais em qualquer lugar do mundo. Mas, afinal, já que você está planejando ir para um lugar tão maravilhoso quanto Marrakech, posso garantir que a melhor decisão é estar imerso nos costumes e hospedar-se dentro da Medina, podendo curtir aquela parte da cidade que é tão sensacional.

Em Marrakech hospede-se dentro da Medina! 

2. Como escolher o melhor Hotel ou Riad em Marrakech?

Como mencionei, em Marrakech a quantidade de Hotéis e Riads existentes é imensa! Os Riads são as casas tradicionais Marroquinas que foram transformadas em casas de hóspedes com quarto privativo e café-da-manhã.

Eu recomendo não arriscar e escolher um Hotel ou Riad através da dica de alguém que já tenha hospedado-se ou com a indicação de alguma agência.

O Hotel Riad que nos hospedamos é maravilhoso e eu recomendo muito. O hotel chama-se Les Jardins de la Medina (colocarei o site e mais informações no fim do post).

O valor do Les Jardins de la Medina é bem ok para um hotel padrão 5 estrelas, com tudo que ele tem para oferecer! O serviço é maravilhoso e impecável!

3. Dica de Hotel Riad em Marrakech: Les Jardins de la Medina

Le Jardins de la Medina é um hotel francês afiliado aos programas Châteaux & Hôtels Collection – Hôtels de Charme & Caractère

Assim que decidimos nos hospedar no Les Jardins, o hotel fez contato comigo e nos ofereceu o transfer desde o aeroporto por um valor super justo, o que foi excelente. Recomendo que independente de onde você for hospedar-se, já negocie o transfer desde o aeroporto até o seu hotel, pois é impossível conseguir um táxi sem ter feito a reserva

Quando chegamos no hotel nossos quartos ainda não estavam prontos e esperamos no restaurante. Um educadíssimo funcionário do hotel veio até nossa mesa e nos ofereceu 5 diferentes perfumes para decidirmos qual seria o aroma de nosso quarto, foi sensacional! 

Nós fomos convidados a ficar numa super suíte (yes, ganhamos upgrade!) e nosso quarto era sensacional! A decoração, o banheiro, amenities, limpeza… tudo impecável. Haviam até flores espalhadas para nos receber…

Roupões de qualidade, toalhas incríveis e produtos feitos com óleo de argan…

Kit para piscina com bolsa, toalha e chapéu…

Área externa do quarto 

Academia do Hotel. Reparem nos tapetes sob os equipamentos!

Lojinha do Les Jardins de la Medina com muito artesanato local

Cheers! Para quem gosta de beber um bom vinho ou outras bebidas alcoólicas, eu recomendo perguntar se no hotel que está cotando pode consumir bebida alcoólica. Em muitos lugares em Marrakech não se pode beber nada alcoólico. No Les Jardin de la Medina a bebida é liberada, inclusive durante o Ramadan (estávamos lá durante 2 dias do jejum ritual)

No fim do dia um artista toca música típica no jardim do hotel, é delicioso

Minha blusa marroquina, feita a mão por artesãos da montanha…

♥︎  Site Hotel Riad Les Jardins de la Medina: clique aqui.

Eu optei por fechar o hotel pelo site HOTEIS.COM que estava com o melhor preço. Clique aqui para acessar o link.

✔︎ Caso você queira outras opções de hotéis, ou mesmo o pacote completo no Marrocos, eu recomendo  consultar a Agência Morocco Imperial, para acessar o site clique aqui.

E então, gostou das dicas sobre hotel em Marrakech? Precisa de mais alguma informação? Qualquer dúvida, encaminhe-me um e-mail no renunes01@gmail.com que adorarei ajuda-lo (a).

bj bj bj

Rê Nunes

Ironman Lanzarote 2017

Olá!

Este post é dedicado ao meu atleta amado, Tatá Lazzuri, e aos amigos queridos e triatletas Leandro Dasler, Vivi Campos e Arthur Ruffato que completaram o Ironman Lanzarote em maio deste ano! Ainda, dedico também a minha amiga e parceira de muitos vinhos e histórias para contar Fabi.

Esta viagem foi tão sensacional que já estou com saudades dos momentos fantásticos…

Sobre as fotos, tenho que assumir que entre tantas emoções eu acabei falhando como fotógrafa e deixei de registrar muitos momentos importantes, afinal, optei por assistir e curtir cada segundo, deixando a câmera de lado…

Agora, seguem os registros que consegui fazer em meio a tanta emoção e sentimentos envolvidos:

Puerto del Carmen, Lanzarote, pré-largada

A praia onde acontece a prova é linda e super extensa

Special Needs

Largada do Ironman Lanzarote é super agitada e muita gente vai assistir, é bem legal

Nós…

A Equipe de feras: Leandro Dasler, Arthur Rufato, Vivi Campos e Tatá Lazzuri

Leandro Dasler e Tatá Lazzuri

…tanta emoção envolvida…

…cada momento…

“El Ironman más duro del Mundo”

A torcida…

…e o dia nasceu tão lindo…

A temperatura em Lanzarote estava em torno de 20 graus pela manhã

O sol surgiu num dourado maravilhoso!

Sobre a natação:

Eu amo ver a natação! É um dos poucos momentos que conseguimos acompanhar por mais tempo os atletas. Dá para ver adrenalina na largada, a movimentação, as braçadas, o cenário… é tudo tão incrível! A cor da água em Lanzarote é de uma transparência difícil de explicar

Os atletas aqui no primeiro plano, tão perto e tão longe…

Braçadas que simbolizam anos de treinos, muito foco, sonhos, objetivos que dentro de horas poderão ser alcançados…
…o azul constante do céu e do mar interrompido por toda movimentação…

Enquanto isso em terra firme:

… o dia estava abençoado…

Estrutura show

Sobre a bike:

782: Bike do Tatá. Falamos sobre a bike que ele alugou neste post, clique para acessar! 


Tatá saiu super bem da água e num tempo incrível, entretanto, ele esqueceu o capacete na transição…

(ops, a fotos do celular, sorry pela qualidade!)

O esquecimento do capacete gerou certa tensão! Ele teve que sair correndo, voltar para a transição na areia, procurar o capacete que estava perdido… voltar para a bike e recomeçar! Acabou que a transição ficou longa e foram momentos de nervos à flor da pele…

A hora do alívio de vê-lo completo!

Este senhor chegou sendo muito aplaudido e foi de arrepiar! Ele estava  tão feliz e animado. Ah, eu o vi chegar, ele terminou a prova!!

Leandro fera!

Leandro também superou todas as dificuldades e fez uma prova maravilhosa!

O  Pro que até então estava em primeiro na corrida!

Le já na corrida

Vivi começando a maratona

Le começando a última volta

Le e Fabi a caminho do Pórtico, emoção real! 

Uma das mini garrafas que ajudaram a celebrar o longo e emocionante dia..!

E estas foram as fotos do Ironman Lanzarote 2017!

Parabéns aos nossos atletas amados, em especial ao meu super Ironman Tatá Lazzuri!

Desculpe amore e amigos que quase não os fotografei, pois realmente a vontade de vê-los, saber que estavam bem, se precisavam de algo, de gritar para incentivar era tanta, que eu nem conseguia fotografar!

Agradeço muito à Fabi pela companhia e parceiragem neste dia tão incrível e cheio de emoções!

E para quem for acompanhar algum atleta em Lanzarote e assistir a prova, tenho algumas dicas bem importantes, por isso, peço que envie-me um e-mail no renunes01@gmail.com que adorarei ajudar! A estrutura é bacana e os restaurantes ao longo da avenida ficam lotados e são super receptivos com a torcida, entretanto, existem detalhes que podem fazer toda a diferença num dia tão longo como uma prova desta.

bj bj bj e que venha a próxima prova.

Rê Nunes.

O que fazer na Africa do Sul? Roteiro de 10 Dias

Olá gente!

África do Sul é um dos países mais sensacionais que já visitei. Entretanto, visitar a África do Sul requer organização e foco, pois são muitas opções de atividades, muitos lugares incríveis e diferentes para conhecer, o que pode deixar sua viagem confusa.

Assim, para facilitar a vida de quem está montando o roteiro para a Africa do Sul, listarei tudo o que fizemos, com destaque ao que amamos; tudo o que não fizemos e os motivos; e, o que não recomendamos fazer!

Dia 1. Cape Town:

Waterfront: chegamos em Cape Town e já fomos conhecer o Waterfront, que estava super movimentado! Ótima maneira de começar a conhecer Cape Town.

– Restaurante Harbour House: localizado no Waterfront. O Harbour House é um estaurante bem gostoso, área aberta, com vista privilegiada e opções de peixes frescos e crus deliciosos! Opte por sentar no andar superior.

– Bascule Bar no Hotel Cape Grace: bar para tomar um drink e ver o por do sol. Caso você não esteja hospedado no hotel, entre para visitá-lo, pois é maravilhoso! (Os preços aqui são mais salgados, mas vale a visita).

– Jantar no Kloof Street House: restaurante/bar delicioso! A noite em Cape Town é agitada e o Kloof é um excelente lugar para a primeira noite! Recomendo reservar com antecedência.

Dia 2 – manhã em Cape Town: 

– Table Mountain: fizemos um Hiking incrível e caso você curta esporte: faça! Tem post contando detalhes, clique aqui.
Existem várias opções para subir a Table Mountain e até mesmo um Cable Car – ah, compre antecipadamente, a fila é bem grande.
Quando no alto da montanha aproveite a vista, o ambiente…
Nós subimos andando e descemos de Cable Car, neste caso é possível comprar o ticket no topo, dentro da área de internet sem filas.
Sobre subir de Cable Car e descer caminhando, aviso que a descida não é fácil, esteja preparada (o).

Dia 2 – tarde e noite em Franschhoek:

– viagem para Franschhoek: Franschoek é uma cidadezinha na região das vinícolas da Àfrica do Sul. Detalhes da viagem em post específico, clique aqui!

Hotel Boutique Angala em Franschkoec: a região das vinícolas é maravilhosa e vale muito o passeio! Caso não tenha transfer incluso em seu pacote,  use Uber, o preço é ótimo. O tempo de viagem é de 40 minutos, saindo de Cape Town.

– Delaire Graff: vinícola sensacional em Stellenbosch. Opção muito sofisticada para almoço ou jantar com ticket médio alto! Reserve com antecedência.

Dia 3 – manhã em Franschhoek:

– Hotel Angala: super café-da-manhã, piscina e spa.

– Almoço com Degustação de Vinhos (Wine Tour): optamos pelo pacote com 3 Vinícolas diferentes e motorista/guia em inglês. Sugestão: pergunte sobre as vinícolas que serão visitadas. Nós optamos por 2 menores, mais boutique e 1 maior.
Sobre uma das Vinícolas que amei, clique aqui!

Dia 3 – tarde e noite (Réveillon) Cape Town:

– Truth Café em Cape Town: retornamos no meio da tarde à Cape Town para a noite de Réveillon.  Assim que chegamos na cidade fomos até o Truth Café, que é considerado um dos cafés mais lindos do mundo. É muito diferente e precisa ser visitado. Clique aqui para acessar o post!  

– The Bungallow na noite de Reveillon: nossa escolha para a virada foi o Bungallow. A festa é ótima, comida boa e vinho de excelente qualidade. A festa é um jantar e depois balada. Existem várias opções de convites, nós optamos pelo jantar numa área reservada e foi bem legal. Reserve e pague com antecedência.
Para quem estiver em Cape Town em qualquer outra época do ano vá curtir o pôr-do-sol no Bungallow.

Dia 4 – Tour até o Cabo da Boa Esperança:

– Tour até o Cabo da Boa Esperança + Praia Pinguin (Boulder s Beach): Deixamos o primeiro dia do ano para fazer o Tour até o Cabo da Boa Esperança e a Praia de Pinguin. Fechamos o pacote no hotel e o motorista nos acompanhou o dia todo. Reserve um dia todo para isso. Saímos as 11:00 do hotel e retornamos as 17:00. Ah, leve lanchinhos e água!
Post sobre a Praia de Pinguins aqui.
Post sobre os Babuínos que encontramos no caminho aqui.

– “Almojantar” no Balducci do Waterfront: chegamos mortos de fome e fomos direto para o Waterfront, um dos únicos lugares com opção para comer depois das 17:00. Optamos por um restaurante italiano delicioso, chamado Balducci.

Dia 5 – Cape Town:

– Old Biscuit Mill: O Old Biscuit Mill é uma fábrica desativada com lojinhas tops! Tente reservar o The Test restaurante.
Clique aqui para post completo sobre o The Old Biscuit Mill e Neighborgood Market. 

– Bokaap: Bairro lindo de casas coloridas. Tivemos sorte de visita-lo no dia do “carnaval” em Cape Town, dia 02 de janeiro,  clique aqui para ver o post completo. 

– Bree Street: Passear pela rua e seu entorno. Comércio super interessante.

– Camps Bay: praia em Cape Town. Fomos para Camps Bay umas 16:00, horário perfeito para curtir os bares até o pôr-do-sol. O primeiro bar escolhido foi o Caprici, bem agitado e com música. Saímos de lá e fomos para o Paranga, mas estava cheio demais. Acabamos ficando no Sunset, delicioso. Camps Bay é legal para curtir os bares e restaurantes – eu não sou muito de praia e a de Camps Bay não me atraiu…

– Aubergine Restaurant: Restaurante em Cape Town sensacional e super sofisticado. Reservamos com antecendência, recomendo.

Dia 6 –  Kruger:

Viagem para o Kruger: Saímos de Cape Town, voamos para Johanesburgo e num avião pequeno fomos até o Kruger. *Importante: mala de 23 kg no máximo neste vôo.

Hotel Shiduli: nosso hotel no Kruger. Caso feche o pacote com agência, confira se o transfer está incluso. Caso feche direto com o hotel, solicite este transfer pois não há opção de taxi nem aluguel de carro no aeroporto. O aeroporto é pititico e super exótico! Chegando no Hotel serviram um almoço super bacana e logo saímos para o Safari.

– Safari 1: Cada Safari merece um post, foram todos surreais…!

Dia 7 – Kruger:

Safari 2 – matinal: com café da manhã na Savana;

– Almoço no Shiduli: quando no hotel no Kruger, não existe a possibilidade de sair. Todas as refeições serão feitas lá dentro!

– Safari 3 – fim de tarde e pôr-do-sol: Safari maravilhoso com pic-nic e vinho na savana.

Jantar no restaurante do hotel.

Dia 8 – Kruger e Johanesburgo (declinamos para Sun City!):

– Safari 4 – matinal: com café da manhã na Savana.

 Viagem para Johanes às 13:00: o vôo é rápido, cerca de 1 hora.

– Desistimos do Sun City: a idéia inicial era chegar no aeroporto de Johanesburgo, pegar o carro alugado e seguir rumo à Sun City, para nos hospedarmos no hotel The Palace – aquele 6 estrelas. Ocorre que chegamos muito cansados e com muita preguiça de dirigir até Sun City. Levamos em consideração que encontramos amigos que haviam acabado de voltar de lá e haviam detestado, por isso declinamos para Sun City. Até hoje não tenho certeza se deveríamos ou não ter ído…

– Johanesburgo: decidimos ficar em Johanesburgo e quando chegamos no bairro do hotel percebemos que fizemos uma excelente opção!

– Protea Hotel Fire & Ice Melrose Arch Marriott: hotel incrível que nos hospedamos no  Bairro Melrose Arch em Johanesburgo. O bairro é sensacional e super seguro, foi uma escolha excelente. Muitas opções de restaurantes e comércio na vizinhança.

– The Butcher Johanesburgo: Restaurante de Carne delicioso. Fica dentro do Mandela Square. Não sou muito de shopping, mas o restaurante é bem legal, mesmo sendo gigante e até fora do que estamos acostumados. Tem um Hard Rock na frente, terminamos a noite tomando uns drinks por lá.

Dia 9 – Johanesburgo:

– Passeio pelo Melrose Arch: lojas bem bacanas, galerias de arte e restaurantes incríveis!

– Clicks: é uma farmácia a la Duane Reade ou Walgreens! Existe por todos os lados na África do Sul e merece ser visitada. Vários produtos incríveis e suplementos com preço show.

– Jamie’s Italian de Jamie Oliver: almoçamos por lá, sem filas e com preço super justo.

– Jantar no Moyo: um dos restaurantes Africanos mais legais de Johanesburgo. Fica em Melrose Arch, pertinho do hotel que estávamos. O bairro é seguro e fomos caminhando!

Dia 10 – Tentativa de Passeio de Balão – FAÇA!

– Passeio de Balão Cancelado: quando decidimos não ir para Sun City fui pesquisar o que fazer em Johanesburgo e encontrei o safari de balão. Ficamos super animados, mas, em decorrência do mal tempo, cancelaram. Choveu muito neste dia.

– Neighborgoods Market – “feirinha” de comidas, roupas e artigos descolados que acontece apenas aos sábados, num galpão. A feira só vai até as 15:00. O evento é sensacional e cheio de gente e designers interessantes. DJ, roupas maravilhosas, bijoux, Bar e muitas opções de comidas!
Clique aqui para ver o post completo sobre o Neighborgoods Market.  

Dia 11 – Retorno de Johanesburgo para São Paulo:

– Vôo direto de volta!

Foi simplesmente sensacional! A África do Sul superou nossas expectativas.

O que estava em minha lista, mas não fizemos:

1. Cape Town:
– Museu do Distrito 6
– Jardim Botanico de Kirstenbosch
– Ilha de Robben
– Restaurante Caveau
– Restaurante La Colombe
– Restaurante Dias Tavern
– Restaurante The Test

2. Sun City:
– Hotel The Palace

3. Johanesburgo:
– Passeio de Balão próximo a Johanes.

Enfim, é isso! O post ficou longo, mas para quem estiver procurando um Roteiro da África do Sul, acredito que ajudará!

Para fotos, acesse os outros posts sobre a África do Sul ou clique aqui, aqui, aqui e aqui!

bj bj bj e ótima semana.

Rê Nunes

Vlog – Como arrumar a mala de viagem de 23 kg?

Olá gente, tudo bem?

Você tem dificuldade em arrumar a mala para viagens mais longas, com destinos variados e, ainda, respeitando o limite de peso?

Pois bem, esta não é uma tarefa fácil e de tanto já ter errado, como por exemplo: ter feito malas enormes e ter que carregar em viagens com muitos destinos (maior furada da vida!); levar roupas que não combinam entre si; roupas em desacordo com a temperatura; excesso de roupa (que implicam em carregar peso à toa)… enfim, foram  tantos erros que atrapalharam muito as viagens, que resolvi dar uma dicas valiosas!

O vídeo foi conduzido pela minha amiga querida, Raissa Starosta, Consultora de Imagem e está dividido em 3 partes!

Confiram o vídeo e, por favor, me sigam no youtube e se gostarem, curtam!!!

Já peço desculpas pois a filmagem está muito sem foco, erros de quem está começando…!

Qualquer sugestão de vídeo será muito bem vinda.

bj bj e ótima semana

Rê Nunes