As vantagens de ser Minimalista

Minimalismo o que é blog

24.01.16

Depois que comecei a me aprofundar no assunto minimalismo e conversar muito sobre isso, eu passei a receber a seguinte pergunta: Por que ser Minimalista?

Ao resolver me desapegar de muitas coisas e mudar a maneira de comprar, pensando e repensando no que realmente é necessário, percebi rapidamente que consigo focar muito mais em coisas que realmente acredito serem importantes, como desenvolver e manter relacionamentos, viver experiências verdadeiras e curtir mais intensamente cada momento, sem preocupar-me tanto com os bens materiais.

A limpeza não é só física, é espiritual…:

 Quando você se dispõe a desapegar e realmente viver com menos, você passa a realizar uma limpeza espiritual. É engraçado que haviam roupas excelentes no meu closet, com etiqueta, que preferi doar para o Centro Espírita, ao invés e vender no brechó ou desapegar aqui no blog. Eu senti que precisava entregar aquelas coisas para alguém que realmente precisasse e foi uma maneira legal de ajudar doando.

Sabe que hoje sinto que minha vida é muito mais leve e prática, livre de coisas que não são exatamente necessárias.

Não sei se vocês reparam, mas tudo isso que tenho escrito aqui sobre Minimalismo é completamente o oposto do mundo que vivemos, o que acho uma pena. Eu reparo em amigos preocupados em gastar com coisas tão desnecessárias e deixam de lado os cuidados com a mente ou com a saúde! As pessoas tem se preocupado apenas com a embalagem e com coisas para mostrar para os outros… isso é tão vazio! Ok, cada um com seu dinheiro, ok cada um com seu gosto, mas o que quero dizer é que sinto que algumas pessoas não investem nelas mesmas. Não investem seu dinheiro em felicidade, em experiências, em conhecimento… É tão gostoso fazer um curso ou se aprofundar num assunto que lhe interessa… É tão especial visitar um lugar diferente, experimentar uma comida especial… Mas eu vejo que tem muita gente mais preocupada em comprar algo caro, para postar nas redes sociais, quando poderiam realmente ver e curtir o mundo maravilhoso que existe a sua volta.

A sociedade de hoje se orgulha de acumular bens ao invés de acumular experiências de vida e isso é muito triste…

Quando você pensa para comprar e se esforça para comprar apenas o que realmente é importante, a satisfação é muito maior:

A banalização do comprar, do ter e o mais triste, ter mais o que o outro, faz com que tudo vire apenas um a mais. Eu gosto de ir na contramão de tudo isso. Eu amo que cada item que eu adquira seja muito especial! Amo pensar e repensar antes de comprar, de analisar se eu quero mesmo. Namoro um item desejado até ter muita certeza que é o momento certo de investir!

Gente, quando esperamos, pensamos e namoramos algo, com certeza valorizamos muito mais este item e temos certeza que não foi apenas mais um em nossas vidas.

Eu acredito que sim, TER MENOS COISAS pode significar SER MAIS FELIZ:

Agora se você ainda acha que tudo isso que falei aqui é mimimi, vou pontuar alguns itens que encontrei numa matéria e que fizeram toda a diferença na minha vida:

  1. Sobra mais dinheiro para investir no momento certo, liberdade financeira;
  1. Optando por viver de maneira Minimalista, sobra mais tempo para cuidar de você, da mente, da saúde, do corpo e de quem está a sua volta. O excesso de coisas e o foco em comprar, nos rouba de momentos muito especiais;
  1. Uma casa com menos é muito mais fácil de manter limpa, sem acumular;
  1. Preocupação com o meio ambiente: pessoas minimalistas produzem menos lixo, contribuindo para um mundo mais saudável;
  1. Aumento de produtividade: já reparou que ”coisas” ocupam uma parte enorme do nosso tempo? Tem que arrumar, tem que cuidar, tem que organizar. Quanto menos coisa, mais tempo e espaço livre, tudo fica mais organizado;
  1. Pessoas minimalistas são exemplos para as próximas gerações! Com todo este consumo desenfreado, o reflexo só pode ser nas coitadas das crianças, que estão cada vez mais distantes dos valores que realmente importam e não curtem coisas deliciosas como um bom parque ou parquinho de diversões com amigos. Quantas crianças pedem para passar o fim de semana enfiadas em shoppings, visto que sabem bem que é lá que poderão consumir desenfreadamente…;
  1. Você conseguirá comprar coisas de mais qualidade, viajar mais, conhecer mais. É claro que quando eu entro no assunto consumir menos ou pensar para comprar, eu recebo perguntas do tipo: Mas você tem Chanel, você gosta de jóias e assim por diante… Claro que eu gosto! Exatamente isso, eu gosto de investir em 1 ”coisa especial” e curti-la muito, dando o valor que ela merece! Eu prefiro ter 1 bolsa que faz a diferença em qualquer look, que será eterna, do que te 10 diferentes, que parecem apenas mais uma, num contexto geral;
  1. Com menos, mas que realmente importam, você será muito mais feliz! Eu garanto que quando você consegue se organizar e não ter aquele bando de coisas enfiadas no armário, você gosta mais das suas coisas. É uma delícia abrir o armário e amar cada pecinha, que tem um contexto especial, indiferente da moda. Eu acredito ser muito mais gostoso repetir 10 vezes um vestido com um contexto incrível, do que nunca repetir roupas comuns, sem história nenhuma para contar…;
  1. Você deixará de se comparar aos outros! Tem coisa mais chata do que aquelas pessoas que ficam olhando o que x ou y tem ou deixa de ter?! Julgando se gastou muito ou não…?! – Adotando um estilo de vida minimalista você consegue exatamente o que quer e não desperdiça energia e dinheiro desnecessariamente. Quando você está feliz e plena, não se preocupa se aquela usa a marca x, se estava com o vestido y, ou se veste roupas que custam z! Quando você é minimalista você preocupa-se em estar satisfeito consigo mesmo, vivendo e curtindo experiências. Ser minimalista é notar que o realmente importa é fazer pessoas felizes ao seu redor e ser feliz. É tão gostoso dar boas risadas, trocar carinho, saborear algo especial! Ao adotar um estilo de vida mais minimalista, você verá que as preocupações mencionadas acima perdem o sentido e que você passa a admirar o tal look da y e x, mas que isso tem zero importância real para sua o mundo;
  1. Liberte-se do passado. A pessoa minimalista não se prende ao passado, e isso vai muito além daquela roupa de coleção anterior, isso significa limpar o coração, vivendo o hoje de maneira leve.
    O passado precisa ficar no passado e temos que sempre olhar para a frente. Recordações são maravilhosas, mas a vida acontece agora e daqui a pouco, nunca ontem. Deixar o passado no passado, cria um futuro melhor para todos nós. Deixe os fantasmas para trás, tanto nos sentimentos, quanto nas coisas. Não carregue contigo nada do que pode lhe deixar pesada ou lhe fazer mal…!

E então, o que acharam dos meus argumentos incentivando-as (os) a se tornarem mais Minimalistas?

Experimentem, vivam esta nova experiência…!

bj bj bj e um domingo maravilhoso.

Rê Nunes

Pensatas: O que é ser Minimalista?

o que é minimalismo

14 de janeiro de 2016

Oie!

Sabe aquela pessoa chata, que quando acredita que uma coisa lhe faz bem, quer dividir isso com todos e fica louca para influenciar?! Pois bem, esta sou eu.

Por ser extremamente curiosa, estudiosa, inquieta e amar encontrar soluções para os problemas (assumo que não sei conviver com problema nenhum, tenho que resolver tudo pra ontem), é relativamente comum para mim encontrar “fórmulas mágicas” ou “super respostas” para os meus problemas.

Vou dar um exemplo: Isso aconteceu há anos com a corrida! Quando eu me apaixonei pela corrida, há bastante tempo, eu achava que tinha descoberto a América! Pensa numa pessoa ansiosa, que descontava no chocolate e nas pessoas à sua volta, que sofreu a vida toda com déficit de atenção e irritabilidade, descobrir que pode colocar um tênis, sair por aí com música no ouvido e deixar escorrer pelos poros todo o mau humor, pensamentos negativos, nervoso de trabalho, tensões familiares e muito mais! Ah, sem contar as calorias, kkkk! Depois de conhecer os benefícios da corrida eu passei a querer que todo mundo a minha volta corresse também! Eu era a chata da corrida…! Só falava nisso e queria “ajudar” as pessoas com minhas experiências! Assumo que demorei para me ligar que a corrida era o melhor tratamento para mim, enquanto outras pessoas odiavam aquilo…! Sabe que algumas amigas entraram na minha, outras pediram para eu parar de falar em correr… e a vida seguiu…!

Estou contanto tuuuudo isso, para falar da fase que venho vivendo há alguns meses, a fase Minimalista, o que não é novidade para ninguém, principalmente para os meus amigos!

Eu já escrevi sobre o Minimalismo meses atras (clique aqui) e nem vou reler o texto neste momento para não ser influenciada pelos pensamentos passados! Assim, se eu repetir algo, simplesmente releve.

Só para atualizar quem é novo por aqui, eu mudei de apartamento em julho. Fui morar com meu namorado, e resolvi desapegar de mais da metade do meu closet e de muitos pertences que pareciam ser importantes até então! Eu já havia ouvido falar no Minimalismo e resolvi aplicá-lo nesta nova fase, mas nunca foi simples assim.

Bem, eu já vinha “paquerando” as matérias sobre minimalismo, até encontrar um blog americano excelente e resolvi me jogar no assunto, lendo e relendo matérias e livros (a maioria dos livros em inglês pois não existe quase nada sobre este estilo de vida em português) e claro, abrir uma pasta do pinterest para acumular material que entendi ser bacana.

Depois de separar muita, mas muitas coisas para doar, eu pude notar que queria realmente viver com menos e nunca mais queria acumular coisas. Eu não queria abrir um buraco no armário e preencher tudo novamente! Eu realmente queria incorporar o espírito Minimalista, o estilo de viver com menos, mas que na verdade significa viver com muito mais! Eu pude sentir o quanto é bom olhar para uma roupa pendurada no closet e trata-la como algo especial e pontual, com história e não mais uma peça jogada.

E então, para compartilhar isso tudo com vocês e explicar um pouco mais sobre o Minimalismo como Estilo de Vida e todos os seus benefícios, vou começar uma série de textinhos aqui nas Pensatas sobre este tema que, é minha paixão, e peço  que vocês leiam e  reflitam sobre tudo isso…! (kkkk assumo que estou querendo influencia-las [os], mas é sem maldade!!!).

1. O que é o Minimalismo?

O minimalismo vai além de dar o que você não usa ou não quer mais.
No meu caso, o estilo de vida Minimalista se iniciou quando resolvi limitar e organizar meus pertences em geral. Quando percebi que despendia tempo e energia organizando e reorganizando coisas que não faziam sentido para mim, indiferente de quanto haviam custado. Acumulava coisas, que acumulavam pó, é meio que isso…

Gente, já quero explicar que eu não estou na nóia de viver com no máximo 100 itens, como descobri que muitos minimalistas fazem por aí! O meu objetivo é não consumir à toa, produzir menos lixo, gastar menos, ter mais espaço e tempo livres. Atualmente, tempo é uma das coisas mais valiosas do universo.

2. Por que ser Minimalista?

Imagine a seguinte situação: você quer arrumar seu armário e tem tanta roupa que não consegue encaixar cada coisa em seu lugar! Sobra item, falta espaço. Aquelas cores misturadas, aquelas peças que você não usa há meses, todas “engalfinhadas” e você nem sabe o que tem! Claro que no meio de tudo isso tem peça nova com etiqueta que você nem lembra. No momento de se arrumar e escolher o look, é óbvio que você olha para o armário, sente uma repulsa e pensa: não tenho nada para vestir, vou comprar roupa nova! E qual o resultado disso? Você compra, compra, compra… e nunca tem nada! É um ciclo vicioso sem fim e com muito dinheiro e energia jogados fora…!

Eu assumo que o quadro acima se repetiu por muito tempo na minha vida! Não só com roupas, mas com bolsas, sapatos e até com itens de decoração, quando morei sozinha!

Mas ainda bem que tudo tem uma saída! Eu realmente tive que chegar no meu limite para perceber que era hora de mudar! Ao começar a perceber o quanto eu estava acumulando e gastando com coisas que não me faziam feliz, tive uma surpresa ainda pior, eu incentivava as pessoas a fazerem o mesmo aqui no blog! Eu me senti péssima quando vi que tinha uma ferramenta tão bacana na mão, com mais de 3.000 acessos diários, com um conteúdo pobre de espírito.
Nesta fase da vida, chegavam “presentes” em casa que eu detestava, muitas vezes não tinham a minha cara, mas estava na moda, então eu postava, por ser parceria! Gente, olha que coisa maluca: eu usava uma coisa que não gostava, postava na internet, para que? Ganhar mais coisa que eu não gostava!!! Nossa, quanta inteligência…

Assumo que esta visão das coisas demorou um pouco para acontecer…!

Enfim, ao notar que estava tudo errado, fui ler, estudar comportamentos e estava disposta a sair daquela bagunça! Descobri que existiam pessoas que viviam com muito poucos itens. Pessoas que se comprometem a viverem com 100 ou até 50 itens no máximo e achei aquilo muito intrigante. Como eu disse, isso está longe de ser meu objetivo, eu apenas quero ter espaço e tempo, de maneira organizada.

Pois bem, lendo lendo e lendo and conversando com minimalistas em Berlim, eu decidi que queria entender e viver um pouco este lifestyle. Vi que aquela era minha solução, meu caminho.  E agora vou contar o que me motivou:

– O Minimalismo simplifica a vida de maneira significativa e isso nos faz perceber que existe um caminho melhor, mais feliz e muito gratificante pela frente.

– Ter uma vida maravilhosa não significa ter coisas da moda ou coisas caras. A minha felicidade está na minha família, nos meus amigos, nas pessoas que amo. A felicidade está em fazer e receber o bem, em dar risadas e comer coisas gostosas. Ninguém vai gostar mais ou menos de mim porque estou usando minha Chanel. 

– Passar o dia no shopping não pode ser mais especial que passar o dia curtindo a natureza, ou num ambiente com pessoas que você ama, falando coisas boas.

– Sim consuma, sim, compre coisas que você gosta, mas pense para comprar, valorize cada coisinha adquirida. Curta o que você já tem e repense se precisa de mais. Analise se aquilo fará a diferença. 

Eu garanto que, você pode achar sua vida maravilhosa hoje, mas tornando-se “um pouco minimalista”, sua vida será muito melhor.

3. Como ser Minimalista?

A primeira coisa que preciso lhe contar sobre esta transição para a vida um pouco Minimalista é o seguinte: vai doer! Sim eu aposto que vai sim…!

Para tornar-se minimalista você deve estar disposto a retirar da sua vida tudo o que tem te feito perder tempo, o que torna sua vida estressante, o que faz da sua casa uma bagunça (calma, não estamos falando de filhos, maridos ou afins…! Estamos falando de coisas! Ok um péssimo namorado mala pode sim ser dispensado junto com as coisas…). Você precisa ter em mente que vai tirar da sua vida o que está tornando sua vida estressante e muitas vezes isso pode ser um simples eletrodoméstico que vive quebrando.

A FELICIDADE NÃO ESTÁ NAS COISAS! Gente, para ser minimalista você tem que encarar aquela balela toda que amo e prego.
Obvio que todos nós precisamos de coisas para viver. Aqui estamos falando do excesso, ok?! Eu quero ter coisas, mas eu quero ter apenas o que eu preciso e que seja o melhor. O que não precisamos é ter coisas e mais coisas, comprar só porque num sei quem comprou, compreende?! Não precisamos de 1 de cada cor! Podemos ter apenas o melhor… Ainda, vamos parar de ser escravos das coisas! Eu preciso comprar estes óculos da moda ou minha vida vai acabar… Páaaara…! Você é muito melhor que isso… Tenho certeza que um fim de semana num hotel incrível (que custa a mesma coisa que os óculos) vai te fazer muito mais feliz…!

– Ser minimalista é encontrar a forma mais simples e pacífica de viver a vida.

– Ser minimalista é conseguir encontrar a beleza em tudo, é ver o lado bom das coisas. Ser minimalista é conseguir sentir o sabor das coisas, é notar os detalhes.

Será que consegui explicar um pouco desta tal fase Minimalista?

Bem, já estou me estendendo demais né? Acho que aqui já tem bastante informação ou blá blá blá…

Faremos assim, vou começar a preparar um outro post, com mais conteúdo, pois acho que ninguém aguenta ler muito mais que isso…!

Gente, quero muito saber se vocês já se imaginaram minimalistas, se já leram algo sobre o assunto ou se já viram casas de pessoas minimalistas?! Vamos trocar idéias sobre isso…! E quem quiser mandar comentário, mas não quer que eu o publique, é só escrever tá? Eu respondo particularmente, no maior segredo.

bj bj bj e até o próximo

Rê Nunes

Pensata: Como lidar com críticas?

como fazer amizade

Estou lendo um livro chamado Como fazer amigo & Influenciar Pessoas de Dale Carnegie. Longe do que parece, este livro não trata-se de um auto-ajuda voltado à arte de fazer amigos, nem pensar!

Este livro é excelente para quem quer aprender a lidar com as pessoas, principalmente no ambiente profissional.

Eu acredito que um dos principais pilares da vida é o relacionamento com as pessoas. Eu não sei e nem gosto de viver sozinha! Dou imensa importância à minha família, amigos, colegas e parceiros de trabalho. Todos são fundamentais para minha vida…! E claro que não para por aí, dou muita importância à senhora que faz a limpeza da minha casa, ao caixa do supermercado, ao gerente do banco, ao lixeiro, enfim, a cada pessoa que  de alguma maneira faz parte da minha vida…

Por isso, entendo ser fundamental estudar (estudar para mim é desenvolver o tema, é destinar um tempo ao assunto…) para ter a melhor convivência com as pessoas! Sim, estudar – de verdade, não acredito que conviver bem com as pessoas seja tão fácil quanto parece… É sempre importante focar que: cada pessoa que aparece em nossas vidas tem extrema importância, temos que lidar bem com elas.

No que se refere ao trabalho, acho importante destacar que exercer a liderança dentro de um grupo não é nada fácil, afinal, existem duas maneiras de se alcançar o respeito: ou conquistando-o ou pela força! Eu, com certeza, objetivo sempre CONQUISTAR O MEU RESPEITO, nunca o impor.

E olha só, eu sempre trabalhei com papel, por mais de 10 anos, e lidava com poucas pessoas. As pouquíssimas pessoas que eu lidava, acabaram tornando-se muito amigas, mas não tive parâmetro sobre como lidar com clientes ou funcionários.

Ocorre que, as coisas mudaram! Há 2 anos deixei o escritório e passei a comandar uma equipe numa empresa. Passei a lidar com pessoas de verdade. Tive que aprender a respeitar e ser respeitada. A lidar com opiniões divergentes, com vaidades, com egos e muito mais.

Por tudo isso, achei bem importante começar o ano trocando esta idéia com vocês, sobre a importância de respeitar cada pessoa que está ao nosso lado, independente de sua posição em nossa vida.

Sobre respeitar a opinião alheia e criticar menos, destaco que somos seres humanos acostumados a julgar e criticar constantemente. Que tal aproveitar o começo do ano para mudar isso?! Eu estou disposta a me analisar antes de analisar o próximo. A me julgar, antes de julgar o próximo. E o mais importante, a me colocar no lugar da pessoa, antes de emitir qualquer opinião. Eu realmente estou disposta a criticar menos e vou exercitar isso!

Bem, após alguns capítulos bem interessantes do livro que mencionei, resolvi compilar algumas dicas que aplicarei no meu dia-a-dia e vou compartilhar aqui no blog:

1. Você conhece alguma pessoa que deseja modificar, aconselhar ou melhorar? Ótimo, mas antes de criticar quem quer que seja, observe a si mesmo. Comece este exercício olhando para você. Será que antes de apontar o problema de alguém, não seria hora de refletir sobre os seus? Lembre-se do clássico a atemporal ensinamento de Confúcio: Não se queixe da neve no telhado da casa do seu vizinho, quando a soleira da sua porta não está limpa. 

2. Toda vez que tratar com pessoas, lembre-se não está tratando com criaturas de lógica, por isso não cobre tal comportamento. Pessoas são criaturas emotivas, suscetíveis às observações norteadas pelo orgulho e pela vaidade. Isso significa que nunca saberemos como reagiremos a uma crítica!

3. Aplique a teoria de Benjamin Franklin: Não falarei mal de nenhum homem, falarei tudo de bom que souber de cada pessoa. Estou exercitando esta teoria no meu dia-a-dia e o resultado tem sido excelente. Sinto-me muito mais feliz elogiando, observar o lado bom de cada um é maravilhoso. O mundo fica muito melhor quando destacamos o que há de melhor, sem criticar o que é não achamos legal.

4. Mentalize mais uma excelente teoria, de Carlyle: Um grande homem demonstra sua grandeza, pelo modo como trata os pequenos.  

5. No lugar de condenar os outros, procure compreendê-los, procure descobrir porque fazem o que fazem. Esta atitude é muito mais benéfica e justa do que apenas criticar. Este exercício gera simpatia, tolerância e bondade, o que é maravilhoso. Nunca se esqueça que é mais fácil entender, quando se conhece.

Para fixar e simplificar, vamos exercitar juntos:

NÃO CRITIQUE, NÃO CONDENE NÃO SE QUEIXE. 

E então, o que acha desta idéia?! Vamos tornar a nossa vida melhor?!

bj bj bj e uma semana maravilhosa para todos nós!

Se tiver alguma dica, sugestão ou comentário, use o campo abaixo ou envie-me um e-mail no renunes01@gmail.com.

Mais no meu Snapchat @mybestwishblog.

Rê Nunes