O que fazer na Africa do Sul? Roteiro de 10 Dias

Olá gente!

África do Sul é um dos países mais sensacionais que já visitei. Entretanto, visitar a África do Sul requer organização e foco, pois são muitas opções de atividades, muitos lugares incríveis e diferentes para conhecer, o que pode deixar sua viagem confusa.

Assim, para facilitar a vida de quem está montando o roteiro para a Africa do Sul, listarei tudo o que fizemos, com destaque ao que amamos; tudo o que não fizemos e os motivos; e, o que não recomendamos fazer!

Dia 1. Cape Town:

Waterfront: chegamos em Cape Town e já fomos conhecer o Waterfront, que estava super movimentado! Ótima maneira de começar a conhecer Cape Town.

– Restaurante Harbour House: localizado no Waterfront. O Harbour House é um estaurante bem gostoso, área aberta, com vista privilegiada e opções de peixes frescos e crus deliciosos! Opte por sentar no andar superior.

– Bascule Bar no Hotel Cape Grace: bar para tomar um drink e ver o por do sol. Caso você não esteja hospedado no hotel, entre para visitá-lo, pois é maravilhoso! (Os preços aqui são mais salgados, mas vale a visita).

– Jantar no Kloof Street House: restaurante/bar delicioso! A noite em Cape Town é agitada e o Kloof é um excelente lugar para a primeira noite! Recomendo reservar com antecedência.

Dia 2 – manhã em Cape Town: 

– Table Mountain: fizemos um Hiking incrível e caso você curta esporte: faça! Tem post contando detalhes, clique aqui.
Existem várias opções para subir a Table Mountain e até mesmo um Cable Car – ah, compre antecipadamente, a fila é bem grande.
Quando no alto da montanha aproveite a vista, o ambiente…
Nós subimos andando e descemos de Cable Car, neste caso é possível comprar o ticket no topo, dentro da área de internet sem filas.
Sobre subir de Cable Car e descer caminhando, aviso que a descida não é fácil, esteja preparada (o).

Dia 2 – tarde e noite em Franschhoek:

– viagem para Franschhoek: Franschoek é uma cidadezinha na região das vinícolas da Àfrica do Sul. Detalhes da viagem em post específico, clique aqui!

Hotel Boutique Angala em Franschkoec: a região das vinícolas é maravilhosa e vale muito o passeio! Caso não tenha transfer incluso em seu pacote,  use Uber, o preço é ótimo. O tempo de viagem é de 40 minutos, saindo de Cape Town.

– Delaire Graff: vinícola sensacional em Stellenbosch. Opção muito sofisticada para almoço ou jantar com ticket médio alto! Reserve com antecedência.

Dia 3 – manhã em Franschhoek:

– Hotel Angala: super café-da-manhã, piscina e spa.

– Almoço com Degustação de Vinhos (Wine Tour): optamos pelo pacote com 3 Vinícolas diferentes e motorista/guia em inglês. Sugestão: pergunte sobre as vinícolas que serão visitadas. Nós optamos por 2 menores, mais boutique e 1 maior.
Sobre uma das Vinícolas que amei, clique aqui!

Dia 3 – tarde e noite (Réveillon) Cape Town:

– Truth Café em Cape Town: retornamos no meio da tarde à Cape Town para a noite de Réveillon.  Assim que chegamos na cidade fomos até o Truth Café, que é considerado um dos cafés mais lindos do mundo. É muito diferente e precisa ser visitado. Clique aqui para acessar o post!  

– The Bungallow na noite de Reveillon: nossa escolha para a virada foi o Bungallow. A festa é ótima, comida boa e vinho de excelente qualidade. A festa é um jantar e depois balada. Existem várias opções de convites, nós optamos pelo jantar numa área reservada e foi bem legal. Reserve e pague com antecedência.
Para quem estiver em Cape Town em qualquer outra época do ano vá curtir o pôr-do-sol no Bungallow.

Dia 4 – Tour até o Cabo da Boa Esperança:

– Tour até o Cabo da Boa Esperança + Praia Pinguin (Boulder s Beach): Deixamos o primeiro dia do ano para fazer o Tour até o Cabo da Boa Esperança e a Praia de Pinguin. Fechamos o pacote no hotel e o motorista nos acompanhou o dia todo. Reserve um dia todo para isso. Saímos as 11:00 do hotel e retornamos as 17:00. Ah, leve lanchinhos e água!
Post sobre a Praia de Pinguins aqui.
Post sobre os Babuínos que encontramos no caminho aqui.

– “Almojantar” no Balducci do Waterfront: chegamos mortos de fome e fomos direto para o Waterfront, um dos únicos lugares com opção para comer depois das 17:00. Optamos por um restaurante italiano delicioso, chamado Balducci.

Dia 5 – Cape Town:

– Old Biscuit Mill: O Old Biscuit Mill é uma fábrica desativada com lojinhas tops! Tente reservar o The Test restaurante.
Clique aqui para post completo sobre o The Old Biscuit Mill e Neighborgood Market. 

– Bokaap: Bairro lindo de casas coloridas. Tivemos sorte de visita-lo no dia do “carnaval” em Cape Town, dia 02 de janeiro,  clique aqui para ver o post completo. 

– Bree Street: Passear pela rua e seu entorno. Comércio super interessante.

– Camps Bay: praia em Cape Town. Fomos para Camps Bay umas 16:00, horário perfeito para curtir os bares até o pôr-do-sol. O primeiro bar escolhido foi o Caprici, bem agitado e com música. Saímos de lá e fomos para o Paranga, mas estava cheio demais. Acabamos ficando no Sunset, delicioso. Camps Bay é legal para curtir os bares e restaurantes – eu não sou muito de praia e a de Camps Bay não me atraiu…

– Aubergine Restaurant: Restaurante em Cape Town sensacional e super sofisticado. Reservamos com antecendência, recomendo.

Dia 6 –  Kruger:

Viagem para o Kruger: Saímos de Cape Town, voamos para Johanesburgo e num avião pequeno fomos até o Kruger. *Importante: mala de 23 kg no máximo neste vôo.

Hotel Shiduli: nosso hotel no Kruger. Caso feche o pacote com agência, confira se o transfer está incluso. Caso feche direto com o hotel, solicite este transfer pois não há opção de taxi nem aluguel de carro no aeroporto. O aeroporto é pititico e super exótico! Chegando no Hotel serviram um almoço super bacana e logo saímos para o Safari.

– Safari 1: Cada Safari merece um post, foram todos surreais…!

Dia 7 – Kruger:

Safari 2 – matinal: com café da manhã na Savana;

– Almoço no Shiduli: quando no hotel no Kruger, não existe a possibilidade de sair. Todas as refeições serão feitas lá dentro!

– Safari 3 – fim de tarde e pôr-do-sol: Safari maravilhoso com pic-nic e vinho na savana.

Jantar no restaurante do hotel.

Dia 8 – Kruger e Johanesburgo (declinamos para Sun City!):

– Safari 4 – matinal: com café da manhã na Savana.

 Viagem para Johanes às 13:00: o vôo é rápido, cerca de 1 hora.

– Desistimos do Sun City: a idéia inicial era chegar no aeroporto de Johanesburgo, pegar o carro alugado e seguir rumo à Sun City, para nos hospedarmos no hotel The Palace – aquele 6 estrelas. Ocorre que chegamos muito cansados e com muita preguiça de dirigir até Sun City. Levamos em consideração que encontramos amigos que haviam acabado de voltar de lá e haviam detestado, por isso declinamos para Sun City. Até hoje não tenho certeza se deveríamos ou não ter ído…

– Johanesburgo: decidimos ficar em Johanesburgo e quando chegamos no bairro do hotel percebemos que fizemos uma excelente opção!

– Protea Hotel Fire & Ice Melrose Arch Marriott: hotel incrível que nos hospedamos no  Bairro Melrose Arch em Johanesburgo. O bairro é sensacional e super seguro, foi uma escolha excelente. Muitas opções de restaurantes e comércio na vizinhança.

– The Butcher Johanesburgo: Restaurante de Carne delicioso. Fica dentro do Mandela Square. Não sou muito de shopping, mas o restaurante é bem legal, mesmo sendo gigante e até fora do que estamos acostumados. Tem um Hard Rock na frente, terminamos a noite tomando uns drinks por lá.

Dia 9 – Johanesburgo:

– Passeio pelo Melrose Arch: lojas bem bacanas, galerias de arte e restaurantes incríveis!

– Clicks: é uma farmácia a la Duane Reade ou Walgreens! Existe por todos os lados na África do Sul e merece ser visitada. Vários produtos incríveis e suplementos com preço show.

– Jamie’s Italian de Jamie Oliver: almoçamos por lá, sem filas e com preço super justo.

– Jantar no Moyo: um dos restaurantes Africanos mais legais de Johanesburgo. Fica em Melrose Arch, pertinho do hotel que estávamos. O bairro é seguro e fomos caminhando!

Dia 10 – Tentativa de Passeio de Balão – FAÇA!

– Passeio de Balão Cancelado: quando decidimos não ir para Sun City fui pesquisar o que fazer em Johanesburgo e encontrei o safari de balão. Ficamos super animados, mas, em decorrência do mal tempo, cancelaram. Choveu muito neste dia.

– Neighborgoods Market – “feirinha” de comidas, roupas e artigos descolados que acontece apenas aos sábados, num galpão. A feira só vai até as 15:00. O evento é sensacional e cheio de gente e designers interessantes. DJ, roupas maravilhosas, bijoux, Bar e muitas opções de comidas!
Clique aqui para ver o post completo sobre o Neighborgoods Market.  

Dia 11 – Retorno de Johanesburgo para São Paulo:

– Vôo direto de volta!

Foi simplesmente sensacional! A África do Sul superou nossas expectativas.

O que estava em minha lista, mas não fizemos:

1. Cape Town:
– Museu do Distrito 6
– Jardim Botanico de Kirstenbosch
– Ilha de Robben
– Restaurante Caveau
– Restaurante La Colombe
– Restaurante Dias Tavern
– Restaurante The Test

2. Sun City:
– Hotel The Palace

3. Johanesburgo:
– Passeio de Balão próximo a Johanes.

Enfim, é isso! O post ficou longo, mas para quem estiver procurando um Roteiro da África do Sul, acredito que ajudará!

Para fotos, acesse os outros posts sobre a África do Sul ou clique aqui, aqui, aqui e aqui!

bj bj bj e ótima semana.

Rê Nunes

Dica de São Petersburgo – Russia: Hermitage e o Palácio de Inverno

Nestes últimos dias tenho falado muito com algumas amigas sobre a possibilidade de viajarmos para assistir a Copa do Mundo na Russia. 

A Russia foi um dos destinos que mais amei conhecer em toda a minha vida. Sempre foi um sonho conhecer São Petersburgo e acreditem, esta cidade conseguiu superar as minhas expectativas.

Para relembrar esta viagem tão especial, resolvi separar as fotos e fazer posts sobre Saint Petersburg, começando pelo Hermitage, um dos maiores e mais maravilhosos museus do mundo.

O Hermitage é constituído por 10 prédios, situados ao lado do rio Neva, e dentre as edificações, está o Palácio de Inverno,  que foi a residência oficial dos Czares, até a queda da monarquia russa.

Atualmente o Hermitage reúne itens e coleções de todas as épocas, incluindo obras Modernistas das mais importantes,  que será assunto de um outro post.

Agora conheça um pouco da parte do Hermitage referente ao Palácio de Inverno, a tal residência dos Czares:

HIGHLIGHT – Escadaria JordanEsta escadaria esplendida localiza-se logo na entrada do Palácio de Inverno. A grandiosidade dela é tamanha que não conseguimos fazer uma foto que demonstre a real beleza.

A grandiosidade do Palácio é tão absurda que ficou difícil conseguir clicar o todo! Por isso as fotos mostrarão partes e detalhes. Nesta foto acima, repare no mármore talhado de forma maravilhosa! 

Dica Importante: Visita com Áudio Guia. Eu amo fazer visitas guiadas em destinos como o Hermitage. Entretanto, visitas em grupos num lugar tão grande pode ser cansativo demais. Assim, optamos por usar o áudio guia e foi perfeito! Conhecer a história de Saint Petersburg através do áudio é super interessante.

Crianças Russas visitando o museu…

Os detalhes nos lustres e decoração…

Cada sala possui uma história especial e surpreendente.

São de Baile…

HIGHLIGHT – Relógio do Pavão (Peacock Clock): Quando iniciei os estudos sobre o Hermitage e selecionar minhas obras desejo, li muito sobre o Relógio do Pavão. Por mais que eu seja uma pessoa apaixonada por pinturas, que estava extremamente ansiosa para ver Matisse, assumo que foi extremamente impactante ver o tal Pavão fabuloso pessoalmente. Infelizmente a foto que tirei do pavão ficou terrível e não tenho nenhuma para mostra-lo! Mas a sala dele é esta abaixo e necessita que seja visitada:

Estes quartos claros são surreais…

Fotos: Rê Nunes e Tatá Lazzuri

✦ Relatos Históricos: 

O Hermitage teve suas obras iniciadas em 1754 por determinação da Imperatriz Elizabeth Petrovna, que desejava ter uma residência em estilo Barroco e foi projetada pelo arquiteto Bartolommeo Rastrelli. A Imperatriz determinou que deveria ser a obra mais exuberante de toda a Europa.

As primeiras obras do Palácio duraram 8 anos e na sequencia foram construídos mais 3: o Pequeno Hermitage, o Grande Hermitage e o Teatro Hermitage, construídos por ordem de Catarina II.

A Imperatriz Catarina II, a partir de 1796, passou a abrigar sua coleção de arte no Pequeno Hermitage, o que leva este prédio ser considerado a galeria de arte mais antiga do mundo.

▲ Fatos Interessantes:

Durante a II Guerra Mundial os cidadãos arriscavam-se para salvar o Hermitage, defendendo-o dos ataques, protegendo-os dos alemães e de uma possível invasão. Durante esta dura fase parte das obras foram abrigadas no subsolo do museu.

✭ Acervo Hermitage:

O Hermitage possui acervo com 3 milhões de peças. Tratam-se de obras de arte como pinturas e esculturas, jóias e muito mais.

❤︎ Prédios que compõem o Hermitage atualmente: 

1. Palácio de Inverno: entrada do museu. Primeiro prédio a ser construído. Prédio assunto deste post e  cenário das fotos acima. Prédio verde, que alguns enxergam em azul.

2. Pequeno Hermitage: prédio construído por determinação da Imperatriz Catarina II para abrigar suas obras, iniciando o acervo do Hermitage.

3. Grande ou O Velho Hermitage: abriga a coleção de arte Renascentista Italiana.

4. Novo Hermitage – O nosso favorito!: abriga as coleções de Arte Moderna (Matisse – imperdível; Picasso – incríveis e super especiais; Van Gogh – sala inteira para ele; entre muitos outros da mesma importância…).
Para reconhecer o prédio: na praça principal, está localizado do outro lado do Palácio de Inverno, é um prédio bege.

5. Teatro Hermitage: até hoje é utilizado como teatro, entretanto não está aberto para visitações, apenas admite entrada de quem for assistir aos espetáculos.

▶︎ Como Visitar o Hermitage:

O Hermitage é gigantesco e dependendo do seu objetivo, deverá reservar um período completo do seu dia!

✔︎ Se você está interessado em fazer uma visita de turista: eu recomendo passear pelo Palácio (este das fotos acima) e caso tenha interesse pelas obras de arte, de uma passada pelos corredores que possuem a vasta coleção!

✔︎ Caso você ame arte: recomendo estudar antes a localização das obras de interesse! É importante saber em qual prédio e sala estão localizadas, pois garanto que ficar andando de um lado para o outro será irritante e cansativo! Sem contar que os mapas são incompletos… Faça a lição de casa e terá um dia maravilhoso.

✔︎ Caso seja apaixonado por Arte Moderna: este é o nosso caso, então recomendo fazer o mesmo que fizemos, afinal foi perfeito! Compre o Ingresso na entrada principal do Palácio de Inverno e faça a visita ao Palácio. Localize as obras de Da Vinci e outros Renascentistas, que são sempre especiais. Terminado este trajeto, saia do Palácio de Inverno e atravesse a Praça, a caminho do Prédio Bege do outro lado. Neste prédio situa-se o incrível NEW HERMITAGE (post em breve)!

☛ Ingressos: Comprar ingressos online é sempre a melhor pedida, entretanto não o fizemos! Eu queria muito tentar uma visita guiada e por isso optamos por comprar o ingresso presencialmente, o que foi bem tranquilo. Optamos pelo ingresso completo + audioguia.

Site para compra de Ingresso: hermitageshop.org

A entrada do Museu localiza-se no Portão Principal do Palácio de Inverno (prédio verde)

Endereço Museu Hermitage: Dvortsovaya Naberezhnaya, 34, Saint Petersburg, Russia.

Site: hermitagemuseum.org

E então, gostou do post?

Caso queira saber mais sobre Saint Petersburg clique aqui ou envie um e-mail no renunes01@gmail.com.

bj bj

Rê Nunes

 

Relembrando Firenze: Duomo!

Quando em Firenze… chegamos na cidade durante noite, cansados, mas muito curiosos para sentir um pouco da energia de uma das cidades mais artísticas do mundo, cheia de histórias para contar!!!

Eis que ao sair do hotel, percebemos que estávamos de frente ao Duomo que ele era ainda mais extraordinário do que imaginávamos.

O Duomo de Florença é na verdade a Catedral de Santa Maria del Fiore e por estar numa praça cercada de outras edificações, bem próximas, meu deu a impressão de ser ainda maior do que é.

A construção do Duomo teve início em 1296, projetada inicialmente por Arnolfo di Cambio, e após a sua morte, passo pela supervisão de Giotto di Bondone, sendo finalizada por Filippo Brunelleschi, dois dos grandes nomes de Firenze, que estudamos profundamente no curso de História da Arte que fizemos!

Nossas fotos noturnas assim que chegamos em Firenze:

Ficamos tão encantados com os detalhes e a grandiosidade da construção que fizemos algumas fotos para tentar mostrar a proporção do tamanho! Reparem em nossos tamanhos perante o Duomo:

Cada pedaço de mármore talhado, as combinações de cores, tudo incrível:

Gostaram das fotos?

No próximo post sobre o Duomo contarei sobre o passeio que fizemos por dentro da Basílica, que foi bem especial!

Dica de Hotel em Firenze: Hotel Laurus al Duomo. Localização excelente, super limpo, café da manhã ótimo, preço bem bacana. Nós perguntamos se havia disponibilidade de algum quarto mais bacana e nos colocaram num quarto enorme e lindo! Foi bem especial… A vista do café da manhã era o Duomo.

bj bj bj e ótima semana!

 

Rê Nunes

Dica de Cape Town: Bo-Kaap

No dia 2 de janeiro de 2017 estávamos em Cape Town, a caminho do bairro Bo-Kaap, bairro turístico e super interessante na cidade, quando percebemos que algo especial iria acontecer, visto que muitas ruas estavam fechadas e as pessoas estavam no maior clima de festa.

Pois bem, no dia 2 de janeiro, acontece o Kaaps Klopse, uma espécie de Carnaval da Cidade do Cabo. Esta festa super tradicional em Cape Town, teve como origem a celebração realizada pelos escravos para comemorar o novo ano.

Reparem na sorte que tivemos! Participamos de uma festa super tradicional, na Africa do Sul, sem qualquer tipo de programação da nossa parte!!!

Agora sobre o Bo-Kaap: esta área da Cidade do Cabo é um antigo município, situado nas encostas da Signal Hill (um dos pontos mais lindos de Cape Town), tradicionalmente conhecida por ser uma área multicultural nas quais as casas possuem cores inesperadas e extremamente vivas.

As casas de cores vivas é uma tradição recente que celebra a identidade muçulmana na região. No passado, todas as casas da Cidade do Cabo foram pintadas de branco, então dizem que os residentes de Bo-Kaap começaram a pintar suas casas em cores vívidas, para diferenciarem-se das outras áreas da cidade, principalmente em razão de suas celebrações. Nós escutamos outras histórias e não temos certeza qual é a certa ou se todas possuem seu lado real!

A herança multifacetada de Bo-Kaa reflete em sua cultura, como músicas, danças e pratos típicos.

Agora confira que legal e diferente foi este dia em Cape Town:

Chegamos para visitar o bairro Bo-Kaap e nos deparando com um carnaval! Foi muito especial…

Haviam relativamente poucas mulheres fantasiadas…

Galeras de todas as tribos!

As casas coloridas de BoKaap são incríveis! Uma pena que nas fotos para o blog as cores mais fortes ficaram um pouco distorcidas…

As paredes pinks, turquesas, amarelas… encantam!

Esta parede turquesa é maravilhosa…

E a lambreta de coração?! Amei…

Nos disseram que grande parte dos moradores de Bo-Kaap são da comunidade muçulmana em Cape Town:

Morador de Bo-Kaap

 

A área VIP!

Vizinhança…

Barraquinha de Comes…

Este African Market com arquitetura incrível…

As pessoas do Carnaval:

Os componentes da festa…

Maquiagens que fazem lembrar nosso carnaval…

Cores ritmos…

Gostaram das fotos? Infelizmente as cores ficaram um pouco distorcidas nas fotos para web! Já, a versão para impressão ficaram maravilhosas.

Fotos: Rê Nunes e Tatá Lazzuri.

Bo-Kaap, Cape Town.

Caso queira mais dicas de Cape Town, clique aqui!

bj bj

Rê Nunes

The Old Biscuit Mill – Dicas de Cape Town

Olá!

Já se programou para visitar a Africa do Sul? Eu recomendo que coloque este destino em seus desejos de viagem, tanto para ir em casal, família (até com criança), ou mesmo num grupo de amigas ou amigos.

A dica de hoje sobre Cape Town é de um lugar incrível chamado The Old Biscuit Mill.

Este lugar super especial na Cidade do Cabo é uma espécie de conglomerado de restaurantes incríveis, lojas lindas e bares bem especiais.

Outro ponto alto deste lugar é aos sábados, quando acontece o Neighbourgoods Market dentro da fábrica abandonada,  uma espécie de “feira” gastronômica e fashion, cheia de coisas bem legais (este evento também existe em Johanesburgo). O Neighbourgoods Market acontece das 9h às 14h somente aos sábados e recomendo que vá cedo.

Caso não vá passar um sábado em Cape Town, vá de qualquer maneira ao Old Biscuit Mill e curta as lojas fixas e restaurantes sensacionais que localizam-se por lá e estão entre os melhores do mundo, conforme explicarei abaixo.

Agora as fotos que fizemos por lá e um alguns detalhes deste local:

old biscuit mill cidade do cabo

O The Old Biscuit Mill é uma antiga Fábrica desativada que localiza-se no Bairro de Woodstock. 

old biscuit mill cape town

As construções industriais são incríveis e fogem daquele estilo africano que já estamos acostumados… 

old biscuit mill

O Old Biscuit Mill foi um moinho de biscoito no passado. Dizem que tudo começou com uma fábrica da Pioneers, depois virou o tal moinho, tornando-se este lugar incrível.   

re nunesMeu look no Poço dos Desejos: vestido Urban Outfitters, sandália Birkenstock, óculos Ray Ban e bolsa Chanel.

o que fazer em cape townRepare neste poço que demais…! Detalhes lindos por todos os lados.

dicas cidade do caboA construção e os detalhes formam um conjunto todo especial. 

Abaixo está o lugar que nos deixou morrendo de desejos… Trata-se do The Test Kitchen, considerado por muitos o melhor restaurante da Africa do Sul. Este restaurante especial é regido por Luke Dale Roberts, que em 2011 já a frente do The Test Kitchen ganhou o prêmio de Restaurante do Ano, entre muitos outros.

re nunes africa do sul

Infelizmente, mesmo tentando reservas com 6 meses de antecedência, em razão das festas de final de ano, não conseguimos jantar no Test Kitchen e ficamos na vontade… Por isso o conselho: Reserve assim que decidir viajar. 

Outro lugar imperdível no The Old Biscuit Mill é o The Pot Luck Club, restaurante que fica no topo da fábrica desativada.

Com culinária mega especial, o The Pot Luck Club também é propriedade do incrível chef Luke Dale Roberts. As reservas também são necessárias e a vantagem do The Pot Luck Club é que há opções de brunch aos domingos e nos outros dias almoço e jantar.

cape town tipsVista do Elevador para entrar no The Pot Luck Club.

old biscuit mill dicasNo The Old Biscuit também existem várias opções de cafés ou restaurantes menos badalados, mas ótimos.

dicas de viagem cape town

The Old Biscuit Mill está situado numa região fora da área turística de Cape Town. É recomendado ir  de uber ou táxi e nos recomendaram evitar andar pelas redondezas.

Fotos: Re Nunes e Tatá Lazzuri. 

Endereço The Old Biscuit Mill: Albert Road, 375, Woodstock, Cidade do Cabo.

Obs.: Os preços das coisas por lá são relativamente altos… Tanto os artesanatos como peças de designers são lindas, mas são muito mais caras do que em qualquer outro lugar da cidade… fique de olho!

Dica para quem ama fotografia: Eu acabei comprando uma impressora da Instax (que estava desejando há tempos) numa loja de fotografia incrível que existe logo na entrada. A impressora estava com preço muito melhor do que os que havia encontrado na internet. Vale a pena pesquisar…

E então, curtiu o lugar?

Para mais informações sobre Cape Town, clique aqui!

bj bj bj

Rê Nunes