O Caminho da Felicidade – Professor Almir de Carvalho

por Rê Nunes

O Caminho da Felicidade 

Na teoria existem vários caminhos para a felicidade, considerando que o conceito felicidade é relativo e portanto, sujeito a mudanças. Felicidade é um estado continuo de bem estar físico e emocional que reflete no espiritual. Sendo assim, não nascemos felizes e sim conquistamos a felicidade. Como isto pode ser feito? Entendendo o processo de apego e desapego produzido na mente.

Aquilo que pode ser visto é bastante atrativo ou repulsivo e de qualquer forma gera sofrimento. O grande desafio de todo ser humano é vencer o apego e superar as fraquezas mentais. Normalmente o ser humano é dominado pelos caprichos da mente, sendo consumido por emoções e a impulsividade que o faz cada vez mais apegado. Quanto maior o apego, maior a prisão em sua própria mente. É como beber demasiado em um dia e no dia seguinte sentir o efeito oposto que a bebida proporcionou. Imediatamente o cérebro necessita de uma nova dose para voltar ao estado “livre” da mente, ocasionando o vício.

Isto acontece porque quando estimulamos algumas áreas do cérebro que ficam localizadas no Sistema Límbico, (estes estímulos podem ser sensoriais),estas áreas liberam substancias químicas que dão a sensação de prazer e, após algum tempo, o cérebro libera outras substancias com efeito contrário ao prazer como sistema de compensação. Quanto maior o prazer, maior o desprazer em seguida. Quanto mais claro o dia, mais escura será a noite.

Podemos então concluir que prazer e dor são ilusórios, são criados na mente e podem ser motivo de muitos problemas emocionais e físicos. O ideal parece ser o que Buda chamou de “Caminho do Meio”, ou seja, não viver os extremos e sim, viver em equilíbrio, entendendo que o próprio cérebro precisa deste equilibrio para coordenar as funções vegetativas.

Como viver em equilíbrio? Em primeiro lugar se desapegar, soltar o passado, os velhos conceitos, as velhas crenças, soltar as tensões, confiar no fluxo da vida e entender que tudo é uma ilusão e que a única realidade é o amor. Este entendimento fará com que a sua atitude seja mais positiva e amorosa, despertando o seu potencial para a felicidade. Em segundo lugar praticar a meditação. Meditar é olhar para dentro e se auto conhecer.

Somente quando passamos a viver livres do automatismo consumista da vida é que podemos sentir felicidade. A felicidade está na simplicidade.

Este texto foi publicado no Jornal Folha do ABC no dia 24 de dezembro de 2011.

Professor Almir de Carvalho

O Professor Almir de Carvalho é acupunturista e professor de yoga.
Site: http://www.reabilitaac.com.br/
tel.: (11) 4427-5759

Mais posts sobre este assunto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *