Tag Archives: Minimalismo

Desafio: 2017 SEM COMPRAR ROUPAS!

Desafio: 2017 SEM COMPRAR ROUPAS!

desafio 2017 sem comprar roupas blog

Olá! Vamos falar sobre as promessas e desafios de 2017?!

Como vocês sabem, eu sou super adepta às mudanças (por isso nem venham com julgamentos sobre o conteúdo deste post, kkkk) e assumo que esta Renata de 2017 é muito diferente da Renata que começou o blog em 2011!

Entre todos os objetivos e metas que pretendo alcançar neste novo ano, eu estabeleci um DESAFIO um pouco diferente do convencional, que merece ser assunto deste post. O tal Desafio chama-se: 2017 ANO SEM COMPRAR ROUPA! 

Como o próprio nome já esclarece, eu me desafiei a passar o ano de 2017 todinho sem comprar nenhuma peça de roupa. Não vou gastar nenhum centavo que seja do meu dinheiro para comprar nada de roupa, o que claro, não impede que me deem presentes, ou seja fazer o OPM (other people money) me presentear, kkkk (ops, volte ao foco!).

Dentro do DESAFIO 2017 SEM COMPRAR ROUPAS, eu estabeleci que toda vez que eu sentir vontade de comprar algo que em condições CNTP (condições normais de temperatura e pressão!)  eu compraria, pegarei o dinheiro que deixei de gastar e vou investir. Gostaram da idéia?

Agora vou explicar um pouco melhor o Desafio 2017 SEM COMPRAR ROUPAS!

1. Por que fazer o DESAFIO 2017 SEM COMPRAR ROUPAS?

Por que eu estou fazendo isso? Pirei?! Não…

Na verdade é o seguinte, eu amo desafios e fui muito influenciada por um novo estilo de vida que tenho adotado, através do minimalismo, essencialismo e até mesmo inspirada naquele lifestyle de algumas francesas que defendem o guarda-roupa de 10 peças (esclareço que 10 peças é modo de falar, não são exatamente 10 peças…).

Com o DESAFIO eu acredito que valorizarei muito mais o que tenho, ficarei mais seletiva e conseguirei eliminar ainda mais o que tenho só por ter…

Ao fazer aquela limpa no meu closet durante 2016 a la Marie Kondo, pude perceber o quanto ele é super hiper completo, com peças que acho incríveis (daquelas que são consideradas eternas) e notei que eu não usava e aproveitava muita coisa boa que tem lá dentro, pois sempre estava comprando mais e mais, querendo usar o novo, deixando de lado coisas muito legais. Tenho peças clássicas incríveis que só usei uma única vez ou nem usei pois comprava algo novo e deixava de lado o que estava lá.

Não quero mais estes comportamentos e não quero mais desperdiçar dinheiro e energia!

2. Tornar-me uma pessoa livre do consumismo maluco e desenfreado!

Comprar e comprar roupas é uma espécie de bola de neve… quanto mais compramos, mais queremos comprar e menos olhamos para o que temos…

Muitas vezes perdemos a nossa personalidade, para ficar usando coisas de modinha que acabamos de comprar e que podem nem ser a nossa cara, só porque vimos em fulana… – Tenho achado isso tão ultrapassado, démodé.

Outro ponto que quero destacar é que notei que eu passava muito tempo enfiada em shoppings, preocupada em comprar algo novo para usar num jantar, ou num encontro com amigas, ou no dia-a-dia mesmo, sendo que tenho tão pouco tempo livre…! Ah, sem contar que quanto mais coisas nós temos, mais perdemos tempo cuidando e organizando, ou seja: excesso de roupas é um grande ladrão de tempo e meu tempo é valioso demais para ser desperdiçado! 

3. Quais os objetivos que espero alcanças com o DESAFIO?

Adotar a não compra de roupa por 1 ano é uma maneira de me fazer usar realmente o que eu tenho, analisar o que merece ser mantido and o que pode ser descartado, fazendo alguém feliz por aí.

Quero ter no meu closet peças chaves, que fazem toda a diferença e não um monte de coisas de modinha, sem qualidade. Quero ter manter peças com tecidos importantes, que tenham minha personalidade.

Outro ponto importante é que da mesma maneira que quanto mais compramos, mais queremos comprar, eu acredito que QUANTO MENOS COMPRAMOS, MENOS NOS IMPORTAMOS EM COMPRAR! Eu acredito muito no poder do hábito e tenho certeza que passar por uma fase sem me importar em comprar coisas, me fará ficar menos consumista.

4. O que fazer com o dinheiro economizado?! 

Eu já comentei que ano passado fiz vários cursos sobre investimentos, educação financeira e quero usar meu conhecimento adquirido neste desafio da seguinte forma: todo o dinheiro, cada centavinho, que eu deixar de gastar em roupas, anotarei na planilha e usarei para investir, seja em títulos do Tesouro, investimentos que estou estudando, seja em qualquer coisa…, planilhando direitinho para ter noção de quanto dinheiro poderia ter gastado no decorrer do ano.

A minha intenção é dimensionar exatamente o que eu gastaria em roupas e analisar o quanto economizei e o quanto isso representará a longo prazo.

Também, pretendo doar parte do que eu gastaria, principalmente nas campanhas que envolvem doações de roupas de frio, durante o inverno.

5. Não vale deixar de comprar roupa e passar a comprar outras coisas…! 

Que fique bem claro que eu não me permitirei deixar de comprar roupas para comprar acessórios ou sapatos, por exemplo! Não vale mudar apenas o foco da compra, gastando a toa em outras coisas para compensar. O que vale é realmente o contexto que o não comprar envolve.

6. O que espero do DESAFIO 2017 SEM COMPRAR ROUPAS?!

Eu realmente acredito que este desafio será um divisor de águas em minha vida, aproveitando para livrar-me de vez da síndrome da consumista, coisa que acho super ultrapassada e que já não combina mais comigo!

Espero que com este desafio que minha personalidade fique ainda mais presente no meu estilo de vestir e que tudo que eu tenha, tenha realmente a minha cara, o meu jeito, a minha personalidade.

Por ultimo, acredito que este desafio me libertará do comportamento de manada que infelizmente a moda tem tomado.

E, por último, tenho certeza que com o dinheiro que deixarei de gastar e com o tempo que terei, poderei curtir muito mais as pessoas, os lugares, os sabores e viajar ainda mais. Investir em experiências, que é o que me faz realmente feliz.

7. Que tal Desafiar-se?! 

E então, o que achou do Desafio? Topa participar?!

Eu sei que é uma decisão que para algumas pode soar um tanto quanto radical, por isso resolvi explicar minhas razões aqui!

Conte-me o que achou e se toparia fazer o desafio através do e-mail renunes01@gmail.com.

bj bj bj e no decorrer do ano irei contando se o foco será mantido.

Ótima semana e um 2017 mais inteligente e feliz.

Rê Nunes

Compartilhe:
Facebook Twitter Tumblr Linkedin Plusone Email

Minha arte na bolsa Chanel!

Minha arte na bolsa Chanel!

bolsa-chanel-pintada-capa

Olá gente!

Eu sou daquele tipo de pessoa que ama aprender de tudo um pouco e que não se contenta só com a teoria, que precisa colocar a mão na massa…!

E quando falo em mão na massa, não me refiro somente ao profissional não! Eu amo ser “auto-suficiente” em certas coisas, do tipo: cortar o próprio cabelo, cozinhar, preparar marmitinhas saudáveis para a semana, criar coisas para a decoração da minha casa, sei usar a máquina de costura de verdade, fotografo, trato foto… Juro, tudo que eu amo na teoria, eu já experimentei na prática ou estou me programando para aprender! Se amo moda, eu quero aprender a fazer moda… Se amo arte, eu preciso aprender a fazer arte… 

Neste sentido, dias atras eu estava conversando no grupo de amigas do whatsapp e elas comentaram sobre o trabalho de uma artista que pinta bolsas de luxo, relógios e até carro… Eu olhei o instagram dela e fiquei maluca! Sabe quando você pensa EU PRECISO DISSO! PRECISO TER MINHAS PEÇAS “AUTORAIS”!

Entrei em contato com a artista e ela foi mega atenciosa e eu estava disposta a encaminhar minha bolsa para que ela fizesse arte. Entretanto, na hora H, conversando com duas amigas que estudaram design de moda e arte comigo, fui questionada o porquê eu mesma não fazia a minha bolsa, já que amo arte e que queria ter algo realmente exclusivo!

Sabe que isso foi o gatilho! Em 1 dia eu resolvi, comprei as tintas, estudei alguns artistas que amo como Pollock, Kandinsky e Miró e resolvi colocar a mão na massa!

Pois bem, agora a minha primeira criação nesta arte que resolvi chamar de minha:

bolsa-chanel-customizadaEsta é minha Chanel, toda pintada por mim…! Eu usei cores que amo e resolvi fazer estas pinceladas mais agressivas… Arriscando o estilo Pollock (com todo o respeito!).  

E gente, antes que me questionem ou me chamem de doida, eu juro que estou num amor por esta bolsa que desde o dia que a fiz, não consegui mais parar de usar!

O look que usei com a bolsa para ir na exposição da Frida semana passada:

look-com-chanel-pintada

Como minhas roupas são sempre básicas, a bolsa ganhou um destaque que me encanta!

E vocês gostaram? Agora tenho a minha Chanel mais que especial, minha arte num item que amo!!!

Algumas amigas adoraram a idéia e eu já estou com 2 encomendas e pintando uma outra para mim! Mostrarei em breve os resultados.

bj bj bj e sugiro que antes de gastar dinheiro em itens novos, reinventem o que vocês já possuem! Isso é delicioso.

Rê Nunes

Compartilhe:
Facebook Twitter Tumblr Linkedin Plusone Email

O que é ser Essencialista? Podcast e Texto!

O que é ser Essencialista? Podcast e Texto!

como ser minimalista essencialista

Olá gente!

Você já imaginou o que realmente é importante no seu dia? Já parou para pensar de tudo o que você faz desde que o dia inicia-se até a hora que termina, o que realmente é essencial e o que apenas lhe desperdiça tempo, dinheiro e energia?

Pois bem, por amar tanto a vida e valorizar cada segundo do meu dia, já faz um tempo que eu venho excluindo tudo que ROUBA O TEMPO! O tempo é uma das coisas mais sagradas e valiosas que temos, você já parou para pensar nisso? Quanto vale o seu tempo? O meu é muito valioso… Ter tempo para fazer o que gostamos; para curtir quem amamos; para simplesmente ficar sem fazer nada; para viajar… tudo isso é tão raro na minha vida, que resolvi ELIMINAR TODOS OS LADRÕES DO MEU TEMPO!

Diante da busca por ter uma vida minimalista, mais feliz e com mais tempo, eu me deparei com uma nova “tribo” que me encantou de cara, os ESSENCIALISTAS!

Eu tenho estudado muito o Essencialismo e estou encantada com o bem que este lifestyle pode me fazer, por isso resolvi trazê-lo ao blog e gravar um podcast!

Sabe, é preciso coragem para eliminar o que não é essencial! Será que você está preparada? Eu acredito que estou…

Segundo Dieter Rams (percursor do essencialismo) – weniger aber besser – menos, porém melhor. Gente, quando eu li isso, na hora me identifiquei e me encontrei! É isso que quero para mim, simples assim! Eu quero o menos, entretanto, quero sempre o melhor!

Mas já devo deixar muito claro que ser essencialista não é nada fácil! Para conseguir entrar para esta tribo é preciso aprender a dizer muitos NÃOS, é preciso manter as caixas de entradas limpas (ok, tem muita gente que nem sequer tem caixa de entrada, ainda, mas calma, chegaremos lá…), é preciso realmente aprender a excluir os ladrões de tempo… e tudo isso exige muito amadurecimento e auto-conhecimento.

O caminho do essencialismo é trivial: Filtra-se todas as opções que o mundo lhe dá e seleciona-se apenas as verdadeiramente essenciais.  Trata-se de fazer as coisas certas para você! É realmente delimitar o que lhe faz bem e excluir o que não é essencial.

Aos folgados e aproveitadores de plantão, resta deixar claro que, NÃO é simplesmente fazer menos por fazer menos! Muito menos deixar de fazer coisas pelos outros alegando que aquilo não é essencial para você, afinal, vivemos em sociedade e precisamos sim uns dos outros para viver felizes.

Para exemplificar é só lembrar daquele momento em que nosso armário fica abarrotado de coisas por acumularmos roupas e não as doarmos com a justificativa que:  “vai que a moda volta” ou “vai que emagreço”… Desta mesma maneira, nossa vida se enche de compromissos e atividades desnecessárias se não as filtrarmos e aprendermos a dizer não! É necessário que adote-se um sistema para filtrar tudo que entra em nossa agenda, ou acumularemos atividades da mesma maneira que acumulamos roupas inúteis – aquelas que apenas ocupam espaço e acumulam pó…!

Agora, se você decidiu – assim como eu – dizer não aos ladrões do tempo e ser muito mais feliz vivendo a pegada essencialista, leia os 3 itens abaixo e passe a aplicá-los, observando, como podemos ser muito mais felizes, vamos lá.

.

1. EXPLORAR

.

▲ Aplique o EXPLORAR em seus bens materiais, principalmente roupas e acessórios:  

Pare de fazer aquela famosa pergunta: Será que vou usar isto algum dia? E depois voltar a peça para o armário com justificativas que nem você acredita… 

Passe a fazer as seguintes perguntas: Eu realmente amo esta peça?Esta peça me deixa realmente incrível?; Com qual frequencia eu uso esta peça?…

Caso o NÃO prevaleça, simplesmente elimine! Mantenha o objeto em sua mente e fotos como belas recordações que não te rouba nem espaço e nem tempo. Afinal, óbvio que ela não é essencial.

▲ Em sua vida pessoal ou profissional, a atitude o EXPLORAR deve acontecer da mesma maneira:

A questão deve ser a seguinte: Qual dessas atividades ou iniciativas oferece a maior contribuição possível para a minha meta?; O que é realmente essencial e vale gastar meu tempo (o bem mais precioso) com isso?!…

Exercitar estas perguntas diariamente, em tudo que se faz, te fará criar um filtro natural! Eu tenho feito isso e juro que minha vida está muito melhor e eu estou muito mais feliz.

.

2. ELIMINAR

.

▲ Use o ELIMINAR seus bens materiais, principalmente roupas e acessórios: 

Você sabia que estudos comprovaram que tendemos a dar às coisas um valor maior do que elas realmente têm e, portanto, sentimos dificuldades em nos livrar delas! Para ajudar a decidir pelo sim, é hora de doar aquela pilha de coisas que ainda lhe deixam dúvidas, use a seguinte pergunta: Se eu ainda não tivesse esta coisa, quanto estaria disposto a pagar por ela?! Caso você perceba que não está disposto a gastar nada por tal coisa, descarte-a! Perceba que esta reflexão funciona muito bem para tudo.

▲ Em sua vida pessoal ou profissional, a atitude deve ser a mesma:

Na mesma linha de raciocínio, pare e pense: de tudo que você supostamente precisa fazer em seu dia, o que realmente é necessário? Quanto do seu tempo vale gastar do seu tempo para fazer tal coisa?! Aí sim defina em seu filtro mental se vai ou não fazê-la!

.

3. EXECUTAR

.

Depois de começar a realizar o passo 1 e 2 é hora de executar tudo isso em seu dia-a-dia! Aí vem o famoso poder do hábito!

▲ Em seus bens materiais, principalmente roupas e acessórios: 

Para que todos os armários das nossas vidas permaneçam arrumados, é necessário criar uma rotina regular. Separe uma sacola grande para os itens a serem dispensados e já encontre para quem doar! Mantenha ativo o hábito de doar, mesmo sem acumular quantidade de coisas expressiva! Encontrou 1 único item que não precisa ser mantido, que não é essencial? Doe-o prontamente! Chega de acumular.

▲ Em sua vida pessoal ou profissional, a atitude deve ser a mesma:

Antes de começar o dia, ao acordar (eu faço isso ainda na cama), observe sua agenda ( ou to do list…) e verifique quais atividades e iniciativas deve realmente realizar. Crie seus próprio sistema de prioridades (em breve escreverei mais sobre isso…!).

Ah, nunca se esqueça de avisar os envolvidos que você resolveu não cumprir qualquer compromisso que seja. Lembre-se que todos os envolvidos em seus compromissos devem ser avisados que você não o fará! Devemos sempre dizer sim quando decidimos fazer algo e SEMPRE RECUSAR EDUCADAMENTE algo que decidimos não fazer – respeitando o tempo do outro!

.

★ Enfim é isso! Na minha opinião, estes são os primeiros passos para se tornar-se essencialista!

Para escutar este post através de PODCAST clique aqui:

♥ Direto no site: Pílula 4 – Torne-se Essencialista. 

∞ No iTunes: Pílula 4 – Torne-se Essencialista. 

♦ Meu canal já está disponível no iTunes e para assinar é só procurar renunes.com.br ou clicar aqui: renunes.com.br no iTunes! 

E então, o que achou desta TEORIA ESSENCIALISTA?! Eu vou continuar estudar e aplicar este novo lifestyle e caso você tenha interesse em saber mais ou que eu continue com estas postagens, deixe seu comentário abaixo ou me envie um e-mail! É muito importante para mim saber se este post foi ESSENCIAL ou apenas algo que pode ser descartado!

.

bj bj bj e ótima semana.

Rê Nunes

.

.

Compartilhe:
Facebook Twitter Tumblr Linkedin Plusone Email

Podcast da Re Nunes: Pílula número 2 – Ser Minimalista, ter menos e ser mais feliz.

Podcast da Re Nunes: Pílula número 2 – Ser Minimalista, ter menos e ser mais feliz.

Que tal iniciar esta quarta-feira com mudança?

É isso que eu proponho com o podcast de número 2 – Ser Minimalista, ter menos e ser mais feliz.  

Clique em um dos links abaixo e escute a minha proposta de felicidade, investindo menos em coisas e mais em experiências:

♥ Direto no site: Pílula n2 – Ser Minimalista, ter menos e ser mais feliz. 

∞ No iTunes: Pílula n2 – Ser Minimalista, ter menos e ser mais feliz. 

Minimalismo o que é blog

Captura de Tela 2016-04-13 às 07.18.07

Meu canal já está disponível no iTunes e para assinar é só procurar renunes.com.br ou clicar aqui: renunes.com.br no iTunes! 

Espero vocês por lá e amarei receber os feedbacks!

bj bj bj e ótimo final de semana.

Rê Nunes

Compartilhe:
Facebook Twitter Tumblr Linkedin Plusone Email

As vantagens de ser Minimalista

As vantagens de ser Minimalista

Minimalismo o que é blog

24.01.16

Depois que comecei a me aprofundar no assunto minimalismo e conversar muito sobre isso, eu passei a receber a seguinte pergunta: Por que ser Minimalista?

Ao resolver me desapegar de muitas coisas e mudar a maneira de comprar, pensando e repensando no que realmente é necessário, percebi rapidamente que consigo focar muito mais em coisas que realmente acredito serem importantes, como desenvolver e manter relacionamentos, viver experiências verdadeiras e curtir mais intensamente cada momento, sem preocupar-me tanto com os bens materiais.

A limpeza não é só física, é espiritual…:

 Quando você se dispõe a desapegar e realmente viver com menos, você passa a realizar uma limpeza espiritual. É engraçado que haviam roupas excelentes no meu closet, com etiqueta, que preferi doar para o Centro Espírita, ao invés e vender no brechó ou desapegar aqui no blog. Eu senti que precisava entregar aquelas coisas para alguém que realmente precisasse e foi uma maneira legal de ajudar doando.

Sabe que hoje sinto que minha vida é muito mais leve e prática, livre de coisas que não são exatamente necessárias.

Não sei se vocês reparam, mas tudo isso que tenho escrito aqui sobre Minimalismo é completamente o oposto do mundo que vivemos, o que acho uma pena. Eu reparo em amigos preocupados em gastar com coisas tão desnecessárias e deixam de lado os cuidados com a mente ou com a saúde! As pessoas tem se preocupado apenas com a embalagem e com coisas para mostrar para os outros… isso é tão vazio! Ok, cada um com seu dinheiro, ok cada um com seu gosto, mas o que quero dizer é que sinto que algumas pessoas não investem nelas mesmas. Não investem seu dinheiro em felicidade, em experiências, em conhecimento… É tão gostoso fazer um curso ou se aprofundar num assunto que lhe interessa… É tão especial visitar um lugar diferente, experimentar uma comida especial… Mas eu vejo que tem muita gente mais preocupada em comprar algo caro, para postar nas redes sociais, quando poderiam realmente ver e curtir o mundo maravilhoso que existe a sua volta.

A sociedade de hoje se orgulha de acumular bens ao invés de acumular experiências de vida e isso é muito triste…

Quando você pensa para comprar e se esforça para comprar apenas o que realmente é importante, a satisfação é muito maior:

A banalização do comprar, do ter e o mais triste, ter mais o que o outro, faz com que tudo vire apenas um a mais. Eu gosto de ir na contramão de tudo isso. Eu amo que cada item que eu adquira seja muito especial! Amo pensar e repensar antes de comprar, de analisar se eu quero mesmo. Namoro um item desejado até ter muita certeza que é o momento certo de investir!

Gente, quando esperamos, pensamos e namoramos algo, com certeza valorizamos muito mais este item e temos certeza que não foi apenas mais um em nossas vidas.

Eu acredito que sim, TER MENOS COISAS pode significar SER MAIS FELIZ:

Agora se você ainda acha que tudo isso que falei aqui é mimimi, vou pontuar alguns itens que encontrei numa matéria e que fizeram toda a diferença na minha vida:

  1. Sobra mais dinheiro para investir no momento certo, liberdade financeira;
  1. Optando por viver de maneira Minimalista, sobra mais tempo para cuidar de você, da mente, da saúde, do corpo e de quem está a sua volta. O excesso de coisas e o foco em comprar, nos rouba de momentos muito especiais;
  1. Uma casa com menos é muito mais fácil de manter limpa, sem acumular;
  1. Preocupação com o meio ambiente: pessoas minimalistas produzem menos lixo, contribuindo para um mundo mais saudável;
  1. Aumento de produtividade: já reparou que ”coisas” ocupam uma parte enorme do nosso tempo? Tem que arrumar, tem que cuidar, tem que organizar. Quanto menos coisa, mais tempo e espaço livre, tudo fica mais organizado;
  1. Pessoas minimalistas são exemplos para as próximas gerações! Com todo este consumo desenfreado, o reflexo só pode ser nas coitadas das crianças, que estão cada vez mais distantes dos valores que realmente importam e não curtem coisas deliciosas como um bom parque ou parquinho de diversões com amigos. Quantas crianças pedem para passar o fim de semana enfiadas em shoppings, visto que sabem bem que é lá que poderão consumir desenfreadamente…;
  1. Você conseguirá comprar coisas de mais qualidade, viajar mais, conhecer mais. É claro que quando eu entro no assunto consumir menos ou pensar para comprar, eu recebo perguntas do tipo: Mas você tem Chanel, você gosta de jóias e assim por diante… Claro que eu gosto! Exatamente isso, eu gosto de investir em 1 ”coisa especial” e curti-la muito, dando o valor que ela merece! Eu prefiro ter 1 bolsa que faz a diferença em qualquer look, que será eterna, do que te 10 diferentes, que parecem apenas mais uma, num contexto geral;
  1. Com menos, mas que realmente importam, você será muito mais feliz! Eu garanto que quando você consegue se organizar e não ter aquele bando de coisas enfiadas no armário, você gosta mais das suas coisas. É uma delícia abrir o armário e amar cada pecinha, que tem um contexto especial, indiferente da moda. Eu acredito ser muito mais gostoso repetir 10 vezes um vestido com um contexto incrível, do que nunca repetir roupas comuns, sem história nenhuma para contar…;
  1. Você deixará de se comparar aos outros! Tem coisa mais chata do que aquelas pessoas que ficam olhando o que x ou y tem ou deixa de ter?! Julgando se gastou muito ou não…?! – Adotando um estilo de vida minimalista você consegue exatamente o que quer e não desperdiça energia e dinheiro desnecessariamente. Quando você está feliz e plena, não se preocupa se aquela usa a marca x, se estava com o vestido y, ou se veste roupas que custam z! Quando você é minimalista você preocupa-se em estar satisfeito consigo mesmo, vivendo e curtindo experiências. Ser minimalista é notar que o realmente importa é fazer pessoas felizes ao seu redor e ser feliz. É tão gostoso dar boas risadas, trocar carinho, saborear algo especial! Ao adotar um estilo de vida mais minimalista, você verá que as preocupações mencionadas acima perdem o sentido e que você passa a admirar o tal look da y e x, mas que isso tem zero importância real para sua o mundo;
  1. Liberte-se do passado. A pessoa minimalista não se prende ao passado, e isso vai muito além daquela roupa de coleção anterior, isso significa limpar o coração, vivendo o hoje de maneira leve.
    O passado precisa ficar no passado e temos que sempre olhar para a frente. Recordações são maravilhosas, mas a vida acontece agora e daqui a pouco, nunca ontem. Deixar o passado no passado, cria um futuro melhor para todos nós. Deixe os fantasmas para trás, tanto nos sentimentos, quanto nas coisas. Não carregue contigo nada do que pode lhe deixar pesada ou lhe fazer mal…!

E então, o que acharam dos meus argumentos incentivando-as (os) a se tornarem mais Minimalistas?

Experimentem, vivam esta nova experiência…!

bj bj bj e um domingo maravilhoso.

Rê Nunes

Compartilhe:
Facebook Twitter Tumblr Linkedin Plusone Email

Pensatas: O que é ser Minimalista?

Pensatas: O que é ser Minimalista?

o que é minimalismo

14 de janeiro de 2016

Oie!

Sabe aquela pessoa chata, que quando acredita que uma coisa lhe faz bem, quer dividir isso com todos e fica louca para influenciar?! Pois bem, esta sou eu.

Por ser extremamente curiosa, estudiosa, inquieta e amar encontrar soluções para os problemas (assumo que não sei conviver com problema nenhum, tenho que resolver tudo pra ontem), é relativamente comum para mim encontrar “fórmulas mágicas” ou “super respostas” para os meus problemas.

Vou dar um exemplo: Isso aconteceu há anos com a corrida! Quando eu me apaixonei pela corrida, há bastante tempo, eu achava que tinha descoberto a América! Pensa numa pessoa ansiosa, que descontava no chocolate e nas pessoas à sua volta, que sofreu a vida toda com déficit de atenção e irritabilidade, descobrir que pode colocar um tênis, sair por aí com música no ouvido e deixar escorrer pelos poros todo o mau humor, pensamentos negativos, nervoso de trabalho, tensões familiares e muito mais! Ah, sem contar as calorias, kkkk! Depois de conhecer os benefícios da corrida eu passei a querer que todo mundo a minha volta corresse também! Eu era a chata da corrida…! Só falava nisso e queria “ajudar” as pessoas com minhas experiências! Assumo que demorei para me ligar que a corrida era o melhor tratamento para mim, enquanto outras pessoas odiavam aquilo…! Sabe que algumas amigas entraram na minha, outras pediram para eu parar de falar em correr… e a vida seguiu…!

Estou contanto tuuuudo isso, para falar da fase que venho vivendo há alguns meses, a fase Minimalista, o que não é novidade para ninguém, principalmente para os meus amigos!

Eu já escrevi sobre o Minimalismo meses atras (clique aqui) e nem vou reler o texto neste momento para não ser influenciada pelos pensamentos passados! Assim, se eu repetir algo, simplesmente releve.

Só para atualizar quem é novo por aqui, eu mudei de apartamento em julho. Fui morar com meu namorado, e resolvi desapegar de mais da metade do meu closet e de muitos pertences que pareciam ser importantes até então! Eu já havia ouvido falar no Minimalismo e resolvi aplicá-lo nesta nova fase, mas nunca foi simples assim.

Bem, eu já vinha “paquerando” as matérias sobre minimalismo, até encontrar um blog americano excelente e resolvi me jogar no assunto, lendo e relendo matérias e livros (a maioria dos livros em inglês pois não existe quase nada sobre este estilo de vida em português) e claro, abrir uma pasta do pinterest para acumular material que entendi ser bacana.

Depois de separar muita, mas muitas coisas para doar, eu pude notar que queria realmente viver com menos e nunca mais queria acumular coisas. Eu não queria abrir um buraco no armário e preencher tudo novamente! Eu realmente queria incorporar o espírito Minimalista, o estilo de viver com menos, mas que na verdade significa viver com muito mais! Eu pude sentir o quanto é bom olhar para uma roupa pendurada no closet e trata-la como algo especial e pontual, com história e não mais uma peça jogada.

E então, para compartilhar isso tudo com vocês e explicar um pouco mais sobre o Minimalismo como Estilo de Vida e todos os seus benefícios, vou começar uma série de textinhos aqui nas Pensatas sobre este tema que, é minha paixão, e peço  que vocês leiam e  reflitam sobre tudo isso…! (kkkk assumo que estou querendo influencia-las [os], mas é sem maldade!!!).

1. O que é o Minimalismo?

O minimalismo vai além de dar o que você não usa ou não quer mais.
No meu caso, o estilo de vida Minimalista se iniciou quando resolvi limitar e organizar meus pertences em geral. Quando percebi que despendia tempo e energia organizando e reorganizando coisas que não faziam sentido para mim, indiferente de quanto haviam custado. Acumulava coisas, que acumulavam pó, é meio que isso…

Gente, já quero explicar que eu não estou na nóia de viver com no máximo 100 itens, como descobri que muitos minimalistas fazem por aí! O meu objetivo é não consumir à toa, produzir menos lixo, gastar menos, ter mais espaço e tempo livres. Atualmente, tempo é uma das coisas mais valiosas do universo.

2. Por que ser Minimalista?

Imagine a seguinte situação: você quer arrumar seu armário e tem tanta roupa que não consegue encaixar cada coisa em seu lugar! Sobra item, falta espaço. Aquelas cores misturadas, aquelas peças que você não usa há meses, todas “engalfinhadas” e você nem sabe o que tem! Claro que no meio de tudo isso tem peça nova com etiqueta que você nem lembra. No momento de se arrumar e escolher o look, é óbvio que você olha para o armário, sente uma repulsa e pensa: não tenho nada para vestir, vou comprar roupa nova! E qual o resultado disso? Você compra, compra, compra… e nunca tem nada! É um ciclo vicioso sem fim e com muito dinheiro e energia jogados fora…!

Eu assumo que o quadro acima se repetiu por muito tempo na minha vida! Não só com roupas, mas com bolsas, sapatos e até com itens de decoração, quando morei sozinha!

Mas ainda bem que tudo tem uma saída! Eu realmente tive que chegar no meu limite para perceber que era hora de mudar! Ao começar a perceber o quanto eu estava acumulando e gastando com coisas que não me faziam feliz, tive uma surpresa ainda pior, eu incentivava as pessoas a fazerem o mesmo aqui no blog! Eu me senti péssima quando vi que tinha uma ferramenta tão bacana na mão, com mais de 3.000 acessos diários, com um conteúdo pobre de espírito.
Nesta fase da vida, chegavam “presentes” em casa que eu detestava, muitas vezes não tinham a minha cara, mas estava na moda, então eu postava, por ser parceria! Gente, olha que coisa maluca: eu usava uma coisa que não gostava, postava na internet, para que? Ganhar mais coisa que eu não gostava!!! Nossa, quanta inteligência…

Assumo que esta visão das coisas demorou um pouco para acontecer…!

Enfim, ao notar que estava tudo errado, fui ler, estudar comportamentos e estava disposta a sair daquela bagunça! Descobri que existiam pessoas que viviam com muito poucos itens. Pessoas que se comprometem a viverem com 100 ou até 50 itens no máximo e achei aquilo muito intrigante. Como eu disse, isso está longe de ser meu objetivo, eu apenas quero ter espaço e tempo, de maneira organizada.

Pois bem, lendo lendo e lendo and conversando com minimalistas em Berlim, eu decidi que queria entender e viver um pouco este lifestyle. Vi que aquela era minha solução, meu caminho.  E agora vou contar o que me motivou:

– O Minimalismo simplifica a vida de maneira significativa e isso nos faz perceber que existe um caminho melhor, mais feliz e muito gratificante pela frente.

– Ter uma vida maravilhosa não significa ter coisas da moda ou coisas caras. A minha felicidade está na minha família, nos meus amigos, nas pessoas que amo. A felicidade está em fazer e receber o bem, em dar risadas e comer coisas gostosas. Ninguém vai gostar mais ou menos de mim porque estou usando minha Chanel. 

– Passar o dia no shopping não pode ser mais especial que passar o dia curtindo a natureza, ou num ambiente com pessoas que você ama, falando coisas boas.

– Sim consuma, sim, compre coisas que você gosta, mas pense para comprar, valorize cada coisinha adquirida. Curta o que você já tem e repense se precisa de mais. Analise se aquilo fará a diferença. 

Eu garanto que, você pode achar sua vida maravilhosa hoje, mas tornando-se “um pouco minimalista”, sua vida será muito melhor.

3. Como ser Minimalista?

A primeira coisa que preciso lhe contar sobre esta transição para a vida um pouco Minimalista é o seguinte: vai doer! Sim eu aposto que vai sim…!

Para tornar-se minimalista você deve estar disposto a retirar da sua vida tudo o que tem te feito perder tempo, o que torna sua vida estressante, o que faz da sua casa uma bagunça (calma, não estamos falando de filhos, maridos ou afins…! Estamos falando de coisas! Ok um péssimo namorado mala pode sim ser dispensado junto com as coisas…). Você precisa ter em mente que vai tirar da sua vida o que está tornando sua vida estressante e muitas vezes isso pode ser um simples eletrodoméstico que vive quebrando.

A FELICIDADE NÃO ESTÁ NAS COISAS! Gente, para ser minimalista você tem que encarar aquela balela toda que amo e prego.
Obvio que todos nós precisamos de coisas para viver. Aqui estamos falando do excesso, ok?! Eu quero ter coisas, mas eu quero ter apenas o que eu preciso e que seja o melhor. O que não precisamos é ter coisas e mais coisas, comprar só porque num sei quem comprou, compreende?! Não precisamos de 1 de cada cor! Podemos ter apenas o melhor… Ainda, vamos parar de ser escravos das coisas! Eu preciso comprar estes óculos da moda ou minha vida vai acabar… Páaaara…! Você é muito melhor que isso… Tenho certeza que um fim de semana num hotel incrível (que custa a mesma coisa que os óculos) vai te fazer muito mais feliz…!

– Ser minimalista é encontrar a forma mais simples e pacífica de viver a vida.

– Ser minimalista é conseguir encontrar a beleza em tudo, é ver o lado bom das coisas. Ser minimalista é conseguir sentir o sabor das coisas, é notar os detalhes.

Será que consegui explicar um pouco desta tal fase Minimalista?

Bem, já estou me estendendo demais né? Acho que aqui já tem bastante informação ou blá blá blá…

Faremos assim, vou começar a preparar um outro post, com mais conteúdo, pois acho que ninguém aguenta ler muito mais que isso…!

Gente, quero muito saber se vocês já se imaginaram minimalistas, se já leram algo sobre o assunto ou se já viram casas de pessoas minimalistas?! Vamos trocar idéias sobre isso…! E quem quiser mandar comentário, mas não quer que eu o publique, é só escrever tá? Eu respondo particularmente, no maior segredo.

bj bj bj e até o próximo

Rê Nunes

Compartilhe:
Facebook Twitter Tumblr Linkedin Plusone Email

O estilo Escandinavo da minha casa: decor preto, branco e cinza

O estilo Escandinavo da minha casa: decor preto, branco e cinza

decoração preto e branco

Quando decidimos montar nossa casa, eu sugeri ao Tatá que criássemos uma palheta de cores que agradasse aos dois, para a partir daí buscarmos um estilo que fizesse nossa cabeça.

Em pesquisas, principalmente no Pinterest, eu comecei a entender o que realmente me agradava e percebi que estava muito próximo ao estilo escandinavo, isso teoricamente falando, pois eu ainda não conhecia a Escandinávia!

Pois bem, acabou que decidi que a palheta de cores da minha casa partiria do cinza, branco e preto, bem minimalista, prático e com o chão feito de cimento queimado…, ah, cimento queimado de verdade, nada de imitações – eu detesto imitações.

A partir daí, criei uma pasta no Pinterest (clique aqui para ver!)  para organizar as idéias e ver o que realmente eu queria dentro da minha casa! Eu sou daquelas que só tenho por perto o que amo. Não gasto dinheiro nem energia com qualquer coisa. O que eu gosto mais ou menos, eu não deixo entrar na minha vida, ou logo excluo… Amo viver com o que ou quem realmente me apaixona.

Para potencializar ainda mais esta paixão pelo estilo Escandinavo, ao conhecer o Norte Europeu, em setembro, eu pude conferir que era exatamente aquilo que eu tanto amava! Assim, quando voltamos, decidimos pintar a parede do quarto de preto, no mesmo estilo que conferi muito na Escandinávia e ficou incrível, mas isso mostrarei em outro post.

Concluindo, recomendo a todos, indiferente do estilo, não aceitar apenas opiniões de decoradoras ou arquitetos, por mais competentes que eles sejam! Encontre seu estilo e coloque sua personalidade em sua casa. Nossa casa tem que ser o lugar que mais amamos no mundo e é isso que sinto hoje!

E você qual seu estilo? Divirta-se criando pastas com referências no Pinterest, é delicioso.

bj bj bj

Rê Nunes

Compartilhe:
Facebook Twitter Tumblr Linkedin Plusone Email

Look com Camisa Xadrez na cintura – para insPirar!

Look com Camisa Xadrez na cintura – para insPirar!

camisa xadrez amarrada na cintura

(imagem: pinterest @mybestwishblog)

Desde que aderi à onda MINIMALISTA (ok, ainda estou em adaptação!), eu passei a apreciar no Pinterest ou sites de moda de rua, looks que eu posso criar com o que eu já tenho em casa!

Como eu já consegui fazer a limpa no meu closet e hoje só encontro por lá peças que realmente amo, tá muito mais fácil me inspirar, sem ter vontade de gastar…!

O LOOK INSPIRA de hoje, escolhi para mostrar como uma camisa xadrez amarrada na cintura faz toda a diferença! E a estampa da camisa não precisa ser exatamente xadrez… Dá para ir de jeans, camuflada, lisa e até floral, para as mais românticas!

Pois bem, com um pouco de criatividade, podemos ter novos looks a partir do que temos em casa…!

bj bj e ótima semana.

Rê Nunes

Compartilhe:
Facebook Twitter Tumblr Linkedin Plusone Email